Futebol italiano escoa para o esgoto enquanto contrata Cristiano Ronaldo

http://gty.im/949606040

Uma excelente matéria do Gentlemen Ultra da Sporte Network do Guardian fez uma feliz observação em relação ao momento do futebol italiano. A Juventus faz a contratação mais cara de sua história – o português Cristiano Ronaldo –  e a primeira de relevo para a Série A em uma década no mesmo momento em que clubes tradicionais do país anunciam suas falências, como Bari, Reggiana e Cesena. Uma lembrança me vêm à cabeça: na mítica série Game of Thrones, uma das cenas mais marcantes de Lord Varys, o eunuco lowborne que ganha relevo social graças a uma habilidade política extraordinária, descreve seu maior rival, Petyr Baelish, o Littlefinger: “Ele não teria pudores de destruir todo o reino, sem deixar pedra sobre pedra, desde que ele fosse o rei”. Qualquer semelhança com a Juventus (não) é mera coincidência. Continue lendo “Futebol italiano escoa para o esgoto enquanto contrata Cristiano Ronaldo”

Ano ruim, mas com esperanças

O Milan deve vencer o campeonato e a Inter é favorita para a Copa Itália. Além disso, a Roma tem promessa de vida nova com a chegada de uma nova gestão para o clube (que pode ser uma bênção ou uma maldição). Mesmo assim, o clube que tem mais chances de sair desta temporada com um horizonte é a Juventus – apesar de uma temporada abaixo da crítica. Há razões para isso. Continue lendo “Ano ruim, mas com esperanças”

Crise sem fim

A Juve está em crise. E o rei está nu. A afirmação é de uma obviedade assustadora e exatamente por isso, interessante. Futebolisticamente e administrativamente, o clube juventino se enterrou numa crise gerada pela pressão da mídia e da torcida e pelo não-reconhecimento de algo que é claro: Calciopoli destruiu o futebol italiano e por consequência, a Juventus. Continue lendo “Crise sem fim”