Nilmar e Robinho o escambau. E o Pato?

A vitória do Milan sobre o Cagliari força uma reflexão sobre uma questão que as pessoas parecem ter esquecido na órbita da Seleção Brasileira. Discute-se muito sobre quem fica com a “quarta vaga” para o ataque do time de Dunga. Luis Fabiano, sabe-se, é titular absoluto – dado não contestado por quase todos. Adriano fica com a segunda vaga – está jogando bem, está no Flamengo e quer a Copa para conseguir outrro contrato na Europa e deixar a Internazionale com cara de trouxa por ter acreditado na presepada de “estou em depressão e vou parar de jogar futebol”. Robinho também teria lugar seguro, por serviços prestados – mesmo que esses serviços tenham sido prestados pouco depois que Moisés tenha lançado a praga dos gafanhotos sobre o Egito (e pouco antes de ele abrir o Mar Vermelho). E por fim, Nilmar, que é um coadjuvante no Villarreal, mas nas suas últimas participações na Seleção, também incontestavelmente tem resolvido. Continue lendo “Nilmar e Robinho o escambau. E o Pato?”

Luis Fabiano e mais…

Ninguém – absolutamente ninguém – pode dizer que apostava em Luis Fabiano como titular do time de Dunga quando ele assumiu a Seleção. Vágner Love, Alexandre Pato, Adriano, Afonso Alves, Rafael Sóbis, Ricardo Oliveira, Fred, Jô, todos esses tinham pinta de que ganhariam uma vaga para 2010. Mas a três meses do ano da Copa, só ele fez por merecer. Continue lendo “Luis Fabiano e mais…”

Um jogo perfeito

Jamais escondi a desconfiança que eu tenho em relação ao trabalho de Dunga. Tendo visto alguns treinos da Seleção na Granja Comary e ourros pela TV, me parece que não é difícil concluir que o ex-volante esteja longe do ideal para comandar um time. Traduzindo: ainda acho que Dunga não tem a competência necessária para ser técnico e que sua posição é muito mais pelo allinhamento com a CBF do que qualquer outra coisa. Continue lendo “Um jogo perfeito”