Manchester United: De Gea por Sérgio Ramos?

O britânico Manchester United se vê nos EUA, disputando a International Champions Cup, torneio amistoso de pré-temporada para os clubes europeus. No entanto, o clube dos red devils tem sido manchete constante nas notícias sobre transferências de atletas. A equipe do treinador holandês Louis Van Gaal já contratou o alemão Bastian Schweinsteiger e deve trazer mais nomes relevantes. Continue lendo “Manchester United: De Gea por Sérgio Ramos?”

Manchester United: nas palavras de Juan Mata.

Aos poucos o Manchester United vai se encontrando sob a batuta do holandês Louis Van Gaal. Nesta segunda-feira, os red devils visitam o West Bromwich pelo complemento da oitava rodada da Premier League, às 17 hr (horário de Brasília). A equipe vermelha de Manchester se vê em sexto lugar (11 pontos), ostentando duas vitórias nas últimas duas rodadas. Continue lendo “Manchester United: nas palavras de Juan Mata.”

Holanda rumo ao título – parte III: o aspecto tático (ataque)

Seguimos com o ensaio acerca da variação do 5-3-2 da Holanda 2014 de Van Gaal. Com a bola recuperada a formação 5-3-2 pode configurar um 4-3-3. Os 3 atacantes deste 4-3-3, são letais. Repito o que já escrevi sobre Robben aqui neste blog.

Arjen é um atleta de transição rápida tão eficiente/talentoso quanto Angel Di Maria, Cristiano Ronaldo ou Gareth Bale. No fim do jogo das oitavas de final do atual Mundial, vencido por 2×1 contra o México, os três homens de frente da Holanda foram Robben, Sneijder e Huntelaar. Continue lendo “Holanda rumo ao título – parte III: o aspecto tático (ataque)”

Holanda rumo ao título – parte II: o aspecto tático (defesa).

Desde que chegou ao Brasil para o Mundial 2014, Van Gaal refutou a condição de favorito, relegando a mesma aos espanhóis, que então integravam o mesmo grupo B. Não escondeu uma formação “feia” de um time disposto em 5-3-2. De forma similar ao Brasil, a Holanda carrega consigo um arquétipo maldito de ter que “jogar bonito”. Se o espectro que aflige o Brasil é o do time de 1970, o espectro holandês é aquele do time de 1974, mesmo derrotado na final do Mundial daquele ano. Continue lendo “Holanda rumo ao título – parte II: o aspecto tático (defesa).”