Ano ruim, mas com esperanças

O Milan deve vencer o campeonato e a Inter é favorita para a Copa Itália. Além disso, a Roma tem promessa de vida nova com a chegada de uma nova gestão para o clube (que pode ser uma bênção ou uma maldição). Mesmo assim, o clube que tem mais chances de sair desta temporada com um horizonte é a Juventus – apesar de uma temporada abaixo da crítica. Há razões para isso. Continue lendo “Ano ruim, mas com esperanças”

Uma banana

A vida das pessoas de uma maneira geral, é um grande viveiro de frustrações. A grande maioria delas irrita-se, cria casos, entra em polêmicas vazias, para conseguir chamar a atenção. Doutra feita, teria de se limitar à sua triste existência, sem atenção nenhuma (que, normalmente, não tinha nem dos próprios pais), sabendo estar caminhando rumo à morte numa imensa estrada vazia. Esse tipo de gente está em todo lugar. Alguns são empregadores que maltratam funcionários, outros são policiais que abusam de violência e, entre outros, há também os anônimos que jogam bananas em campos de amistosos entre seleções. Desses últimos, eu sei que você ouviu muito falar no Brasil, esse país tolerante, depois de domingo. Mas certamente você não ouve as mesmas críticas aos idiotas que vão ao estádio perseguir jogadores supostamente homossexuais. Continue lendo “Uma banana”

Quartas da Liga dos Campeões: Três barbadas e um páreo duro

Verdade, jogos de mata-mata são pródigos em surpresas (e por isso, normalmente, torcedores de times que jamais vencem alguma coisa acham o método mais “emocionante” – já que no caso, é a única maneira de eles mesmos terem alguma emoção). Mesmo assim, as quartas-de-finais da LC desenham uma semifinal com Internazionale, Barcelona e Real Madrid e com um duelo de sangue entre Manchester United e Chelsea. Continue lendo “Quartas da Liga dos Campeões: Três barbadas e um páreo duro”

Se se esconde, não é craque

A definição de “craque” não é precisa. Normalmente, se banaliza o termo referindo-se como “Craque” a qualquer jogador que tenha uma técnica acima da média – como Neymar, por exemplo. Mas eu discordo. Para mim, ao craque, não basta ter uma técnica acima da média. É preciso também ter uma personalidade que permita a ele decidir as partidas difíceis. Se ele se esconde, não é craque. Continue lendo “Se se esconde, não é craque”

As diferenças entre o Olímpico de Londres e o Itaquerão

A decisão da entidade responsável pelo legado olímpico na Inglaterra (imagine se no Brasil temos algo parecido) decidiu que a proposta do West Ham é a melhor para ser o “dono” pelos próximos 20 anos do complexo que está sendo levantado pela Inglaterra pelas Olimpíadas. É praticamente uma formalidade que indica que o West Ham terá o estádio pelas próximas duas décadas. Mas ao contrário da vergonha da doação de um estádio para o Corinthians (além de muitas outras menos aviltantes pelo país), é uma clara demonstração como em termos de cidadania e evolução das instituições, o Brasil está longe da posição de liderança que pleiteia. Ainda estamos mais próximos do terceiro mundo do que do mundo desenvolvido. Continue lendo “As diferenças entre o Olímpico de Londres e o Itaquerão”