Como eles foram no primeiro turno

Inter – 1º turno nota 9
Não há necessidade de relembrar o quanto a Inter é onipotente nesta temporada. Com o melhor elenco, sem achaques psicológicos e uma largada com vantagem folgada sobre o Milan, o campeonato revelou-se mais fácil do que já parecia. A vantagem inicial esmagadora não zera os méritos de Roberto Mancini e companhia: o técnico conseguiu tirar o melhor de Ibrahimovic, Vieira, Crespo e Dacourt, além de gerenciar sem muito dano a situação de um Adriano que queria ser vendido por pressão do empresário. Só um desastre tira a Inter da rota do título, embora no âmbito continental, não haja sinais de que a primazia possa se repetir. Continue lendo “Como eles foram no primeiro turno”

A justiça tarda…

Há três anos atrás, quando a Fiorentina retornou à Série A, com uma virada de mesa malandrona, a sensação que ficava para a maioria dos amantes do esporte era a de frustração. Rebaixada à Série C no ano anterior, a ‘Fiore’ tinha evitado a segunda divisão através de politicagem E essa é uma marca que nunca mais sai. Continue lendo “A justiça tarda…”

Os escolhidos

Sim, a coluna desta semana emana um ar bíblico. O evento que justifica o título semi-sacro é a escolha do técnico Marcello Lippi. No último sábado, Lippi anunciou a lista dos 29 jogadores que participarão do ‘estágio’ de dois dias na concentração ‘Azzurra’ e de onde sairá a lista final dos italianos que seguem para a Alemanha. Continue lendo “Os escolhidos”

Decidido uma ova!

É verdade. É a Juventus. Ou seja: não conte com que ela esteja morta antes da missa de sétimo dia, porque ela já se levantou do caixão inúmeras vezes. Mesmo com a capacidade de se voltar do mundo dos mortos, como muitos políticos brasileiros, esta Série A, que parecia decidida, voltou a ficar aberta. E como! Continue lendo “Decidido uma ova!”

Será que volta a emoção?

Depois do empate no sufoco da Juventus em Cagliari e de uma rápida olhada na performance do time de Fabio Capello nas últimas semanas, todo mundo se entreolhou. Será, que depois de um campeonato que parecia mais do que definido, ainda haveria chances para uma reta final com empolgação? A resposta é: o título ainda está nas mãos da Juventus, mas ela não pode mais dormir tranqüila. Continue lendo “Será que volta a emoção?”

A seca

Este parecia ser o ano em que Adriano finalmente iria estourar. Procurada pelos maiores clubes da Europa, a Inter disse ‘não’ e manteve o brasileiro em Milão. Com uma Inter um ano mais entrosada, se esperava que o brasileiro não precisasse ser o único a salvar a pátria interista a cada vez que as coisas não andassem às mil maravilhas. Continue lendo “A seca”

Firmeza juventina

A pré-temporada juventina não foi lá muito empolgante. Na venceu nenhum dos torneios de verão, perdeu a Supercopa para a Inter, não jogou excepcionalmente bem em nenhuma partida e ainda criou um pequeno mal-estar com Del Piero, que apesar de capitão, já sacou que deve curtir um banco de reservas. Nesse ínterim, a imprensa já se apressou em elogiar a Inter como a ‘melhor sucedida’ no futebol de verão e tal. Continue lendo “Firmeza juventina”

Mão na taça

Indiscutível. Esse é o termo que qualifica a histórica vitória da Juventus no Giuseppe Meazza. A Juve não batia o Milan na Lombardia desde 1997, 6 a 1, que definiu a aposentadoria do lendário Franco Baresi. O sucesso ‘bianconero’ não deifiniu o campeonato, mas deixou a equipe de Capello com uma vantagem que raramente desperdiça. Continue lendo “Mão na taça”