A campeã…

De uma maneira meio estranha, numa sexta-feira, sem jogar, a Juventus costurou o 28o ‘scudetto’ na sua divisa ‘bianconera’, consolidando um título que estava entregue praticamente desde a vitória juventina em San Siro. Com o empate do Milan diante do Palermo, Fabio Capello comemorou seu sétimo título nacional, seu primeiro coma Juve como atleta, logo no ano de estréia no banco do Delle Alpi. Continue lendo “A campeã…”

Nos descontos!

Na hora ‘H”, a Juventus buscou seu caráter no fundo do saco e o encontrou. Com o capitão Del Piero decisivo mais uma vez, o time de Fabio Capello não jogou uma partida brilhante, mas não deu chances para o Parma. A vitória desenhada no Delle Alpi foi praticamente uma hipoteca no 28o ‘scudetto’, que se não for para Turim, vai marcar o time de via Galileo Ferraris para sempre. Continue lendo “Nos descontos!”

É inédito!

Quando se encerrou a 21a rodada, a Juventus de Fabio Capello foi para o vestiário cheia de si. Tinha aberto oito pontos de vantagem sobre o atual campeão, Milan, e se apoiava em vários fatos para sentir o cheiro de ‘scudetto’. Primeiro, o peso da camisa juventina, líder por natureza; segundo, um elenco de estrelas, com Trezeguet e Nedved em recuperação; terceiro, o fato de que sempre que Capello chegou à 21a rodada com uma vantagem de oito pontos, ele foi campeão. Continue lendo “É inédito!”

0 x 0. E a Juve agradece…

A última vez que Milan e Inter se enfrentaram pelo Campeonato Italiano e ninguém fez nenhum gol foi na temporada 1989/90, quando os interistas levantaram seu último ‘scudetto’. Toda a expectativa gerada nas últimas semanas para o derby (que teve 79.775 pagantes, para mais de € 1,5 milhões de bilheteria) acabou frustrada. Não foi uma partida horrorosa, mas esteve longe de ser o espetáculo que todos queriam. Continue lendo “0 x 0. E a Juve agradece…”

Adriano imperador

“Nella gioia e nel dolore, Adriano imperatore”. Estes eram os dizeres de uma faixa no campo de treinamentos da Pinetina, quando cerca de mil torcedores aguardavam Adriano voltar do Rio de Janeiro, onde fora acompanhar o enterro de seu pai. O centroavante já tinha conquistado a ‘tifoseria nerazzurra’, e de lá para cá, só fez crescer a idolatria, muito parecida com a que teve Ronaldo em seu primeiro ano de Inter. Continue lendo “Adriano imperador”

Lecce – Zeman!

Foi uma aposta arriscada. Contratar Zdenek Zeman é contratar dor de cabeça. O técnico tcheco não tem papas na língua, não aceita jogar com prudência, pede demissão com a mínima intromissão no seu trabalho, não perdoa chiliques de estrelas, e ainda atrai o ódio supremo da Juventus, que ele, Zeman, acusou de dopar seus jogadores, em 1998. Continue lendo “Lecce – Zeman!”