Contratos, obrigações e rêmoras

Indústrias que têm uma capacidade de faturamento excessivamente grande tendem a atrair profissionais e indústrias relacionadas que buscam uma parte desse faturamento. Em alguns casos, esses “agregados” embutem valor no produto final e a indústria central tem o seu produto com mais valor. Como exemplo, pense nos desenvolvedores de tecnologia que agrupam outros criadores de software ao seu redor. Na maioria dos casos, as rêmoras vêm só pelo dinheiro (um case concreto é a inflação dos custos da indústria cinematográfica por conta dos custos crescentes de honorários de advogados e seguradoras), agregando zero ao produto original (no caso do cinema, os filmes não melhoram absolutamente – só ficam mais caros). É exatamente isso que acontece no futebol.  Outro exemplo? Jogadores pedindo aumento com contrato vigente. Continue lendo “Contratos, obrigações e rêmoras”

Kléber, o craque

Ainda na Folha, Juca Kfouri sugere que Kléber “que está indo bem no sul” pode ser o lateral esquerdo que Dunga procura. Embuste. Kléber é o jogador mais “overrated” dos últimos 10 anos no Brasil. Quantidade de títulos: zero. Interesse de grandes clubes europeus: zero. Quantidade de partidas épicas pela Seleção: zero. Mesmo assim, tem status de craque porque “joga muito” num campeonato estadual cujo nível técnico é o equivalente ao Chade diante do PIB global.