Preview da temporada: Parma

Investimento: Lucro de mais de €4 milhões no mercado.
Reforços: Giovinco e Floccari, o primeiro, já emprestado na temporada passada.
Ausências: Amauri e Dzemailli.
Técnico: Franco Colomba, o mesmo da salvezza.
Destaque: Giovinco e Floccari.
Aposta: Feltscher e Zé Eduardo, mas sem muita convicção.
Ponto fraco: o mesmo dos outros “pequenos”: elenco curto e pouca grana.
Luta para… se salvar.
Na temporada… que começa no fim de semana, o Parma tem a dura tarefa de viver a sua realidade na última década, milhas e milhas distante da bonanza do leite da Parmalat. O elenco é curto, jogadores que se destacam vão embora por pouco dinheiro e raramente o time revela alguém interessante porque os agentes – o câncer do futebol – afastam qualquer revelação surge em Collechio. Na pré-temporada, Colomba já deu a entender que vai afogar o meio-campo e jogar só com um atacante mais a aproximação de Giovinco, efetivalemente o playmaker do time. Dois laterais jogam como externos e devem dar segurança extra à retaguarda. Colomba quer fazer o seguro: acertar a defesa e depois ver o que dá. Como elenco, o time pode até se garantir sem sofrimento, mas precisa não ter contusões. Senão, a porca torce o rabo.

Não dá para reclamar

Se a última competição de seleções que a Itália concluiu deixou o país ensandecido em festa, um ano depois, o clima passa a ser de frustração. Para a Itália, pelo menos resta o consolo de que o Europeu Sub-21 não é a Copa do Mundo e então é possível falar em danos limitados. Mas o gosto de derrota está lá. Continue lendo “Não dá para reclamar”

Fio da navalha

Até algumas temporadas atrás, o Campeonato Italiano primava pela estabilidade. Um torneio duro e equilibrado exigia isso. O clube que se desfizesse do treinador prematuramente aumentava em muito as chances de ser rebaixada, porque o entrosamento era condição indispensável para evitar a queda para a segunda divisão. Continue lendo “Fio da navalha”

Campeã de inverno

Uma rodada ainda falta para a Itália fechar seu primeiro turno, e a Juventus já assegurou o “título de inverno”, que vale lembrar, é só simbólico. O time piemontês voltou a abrir quatro pontos de distância do segundo colocado Milan e não pode ser mais alcançado antes da primeira rodada do returno. Continue lendo “Campeã de inverno”

O primeiro troféu

Não era muito difícil prever que a partida que valia a Supercopa Italiana, entre Milan e Lazio, tinha um favorito. De um lado, um time que vinha de um título europeu e um ‘scudetto’; do outro, um que se salvou por pouco da falência e que teve de vender seus melhores jogadores para rearrumar a casa. Continue lendo “O primeiro troféu”