O dilema de Love

Ele voltou ao Brasil para bater o carimbo no passaporte para a Copa do Mundo por meio de um títulos brasileiro com o Palmeiras, mas chega em Dezembro com pecha de primadonna, baladeiro e tendo tomado uma sova no processo. Agora, deve Vágner Love disputar o Paulista e a Copa do Brasil num time abalado psicologicamente para lutar por uma vaga na Seleção ou voltar á Rússia, esquecer a Seleção (que só viria num golpe de sorte) e jogar uma convidativa Liga dos Campeões?

Sendo realista, não dá para considerar Love um jogador de pedigree de Seleção Brasileira – mas até aí, Marcelo (Real Madrid), Fernando (vendido pelo Bordeaux ao Genoa) e Felipe Melo (Juventus) também não são. O ponto é que em condições normais, ele não teria uma vaga na Seleção e uma extensão de sua passagem pelo Parque Antártica pode até piorar seu já combalido status de craque.

Para o futebol brasileiro, Love é muito acima da média, mas para a Europa, é jogador para um time médio. Seria um bom susbtituto para Luis Fabiano, que merece mais que o Sevilla. A escolha dele é difícil, porque ele pode não ter mais chances de jogar uma Copa do Mundo e na Rússia não vai chamar a atenção de Dunga a menos que marque dois gols por jogo.

Se quiser mesmo ir para a Copa, Love só tem uma saída: o Flamengo. Lá, seu passaporte estaria carimbado. Mesmo se fosse expulso, salvaria sua pele com trancinhas rubronegras no Supremo Tribunal da Palhaçada Desportiva.

Para não passar em branco: as oitavas da LC

Sorteio patético da Liga dos Campeões. Se teremos confrontos épicos, dignos de final, como Inter x Chelsea e Man Utd x Milan, algumas decisões de Intertoto como Bordeaux x Olympiacos e  CSKA x Sevilla garantem que titãs ficarão de fora e novatos irão adiante. Ok, quem ficou em primeirono grupo tinha melhores chances, mas ainda acho que a classificação das oitavas deveria ser automática, usando o ranking dos clubes, assim como se faz no tênis. Enfim, grandes jogos.

Milan x Manchester United

Mais pela tradição e menos pela força aparente atual, o grande confronto da fase. O Milan de Leonardo precisa sanar uma deficiência nas alas para estar á altura do confronto, assim como rezar para a dupla Nesta-T. Silva esteja fisicamente bem. Se tiver isso e contar com um David Beckham que dificilmente gosta de jogos decisivos, tems elementos para duas partidas épicas. No lado inglês, não é difícil colocar o medidor de temperatura em Rooney-Owen-Giggs. O trio tem material de sobra para carregar o United adiante. Ingleses favoritos no duelo “Rosso”.

Chelsea x Internazionale

Outro grandíssimo confronto. O Chelsea recebeo ex Mourinho capitaneado pelo desafeto do português – o enésimo –  Carlo Ancelotti. Chelsea visivelmente superior tanto como time, como quanto individualidade e volume de jogo.  No confronto “Blue”, o sucesso do matreiro Ancelotti passa pelos pés de Drogba, o centroavante favorito de Mourinho, mas também pela recuperação de um Petr Cech que não vive grande fase. No meio-campo, grande duelo entre Cambiasso e Essien. No lado interista, é Sneijder o jogador capaz do salto de qualidade. Se domar Balotelli, Mourinho pode ter no atacante outro ponto de desequiçíbrio. se não domar, idem. Ingleses favoritos também.

Bayern x Fiorentina

Mesmo com van Gaal e sem Toni, o Bayern é amplo favorito. O time bávaro tem muito mais consistência do que a Fiorentina, superdependente de Mutu-Jovetic. Gilardino é visto na Itália com desconfiança por sumir em jogos decisivos, apesar de ter calado os críticos contra o Liverpool. Fundamental a recuperação total de Ribéry – psicologica e fisicamente falando – mas também o rendimento de Pranjic e Robben. O Bayern é um clube que cresce na Europa a prescindir da fase. Nada indica o contrário aqui. Alemães na frente.

Stuttgart x Barcelona

Em fase sofrível, o Stuttgart do incontinente urinário Lehmann pega o melhor time do mundo. Duelo desigual que o não vê o Barça na fase seguinte com uma hecatombe.  É difícil encontrar no time alemão algum jogador que esteja no nível do Barcelona, quanto mais o conjunto. Sem uma epidemia mortal na Catalunha, as quartas de finais estão asseguradas.

Olympiacos x Bordeaux

Um confronto com cara de Copa Uefa – ou se você preferir, Europa League. Os franceses são amplos favoritos e se Zico conseguir passar de fase, merece uma revisão nas dúvidas que se têm sobre sua capacidade. O meio-campo grego é forte o suficiente para manter a bola, mas o francês não é ruim e tem jogadores de grande classe como Gourcuff, Chamakh, Diarra e Saivet. A bola está com os campeões franceses.

Lyon x Real Madrid

Um confronto ‘default’ de Liga dos campeões, dada a imensa quantidade de vezes que se cruzaram recentemente. Não tem como não dar favoritismo absoluto para o Real – mais classe, mais craques, melhor retrospecto e provavelmente, mais entrosamento até a data do jogo. O único quesito no quial o Lyon ganha é justamente o conjunto. Se quiser degolar o Real e acabar com a temporada ‘blanca’, o time francês precisa de um jogo ardiloso, anulando Kaká e Ronaldo. Espanha favorita.

CSKA x Sevilla

Um duelo muito do sem graça. Os russos normalmente chegam mortos nas oitavas por estarem em começo de temporada e apesar de ter um time interessante com o brasileiro guilherme e o externo sérvio Krasic, não parece haver problema para Luis Fabiano e companhia. Se o Sevilla quer uma vaga nas quartas, a temporada é essa. São favoritos.

Porto x Arsenal

Grande duelo entre um time entrosado e outro em crescimento. Jesualdo ferreira não tem jogadores importantes como Lisandro Lopez e Lucho Gonzalez, mas pode tentar fazer Hulk jogar mais para o time – e o brasileiro é mortal. Os “Gunners” precisam resolver um problema de cabeça: como vencer com tanta juventude. Fàbregas é o jogador chave num time em que van Persie poderia ajudar a tracionar, se não fosse irregular e sofresse com contusões. Tem cheiro de dois grandes jogos. Passa o Arsenal, mas raspando.

Liga dos Campeões – GRUPO B (Man Utd, Wolfsburg, CSKA e Besiktas)

Campeão Alemão e Campeão Inglês, num embate de estilos parecidos. Futebol muito ofensivo, técnico, com meias leves e hábeis; o Man Utd exploca mais as extremas, com Nani, Giggs e Valencia aguardando as inserções de Rooney e Berbatov, enquanto o Wolfsburg prefere o centro do campo com Misimovic usando Dzeko como referência. O CSKA de Zico, caso perca Vagner Love e não contrate um centroavante, está morto e enterrado. O Besiktas é franco atirador,