Equilibrado e medíocre

Acabou neste final de semana o primeiro turno do campeonato brasileiro. Nos cinco pontos que separam os seis primeiros colocados foram os motivos ara uma grande celebração da “dificuldade” do campeonato e de seu alto nível técnico. Isso confirma uma tese que já tenho há muitos anos: o brasileiro não liga muito para campeonatos com alto nível técnico. Ele só quer equilíbrio – mesmo que seja na várzea. Continue lendo “Equilibrado e medíocre”

A força do profissionalismo corintiano

É mesmo um clube com uma diretoria de nível internacional. Primeiro, contratam um dos atacantes brasileiros cotados para a Copa de 2010, tirando-o da Roma; depois, desenvolvem todo um plano de recuperação de uma lesão em seu ombro e o apresentam diante de uma multidão entusiasta. Agora, anunciam que ele está 6 kg acima do peso (o que é bastante aceitável ára um jogador contundido) e que ele recupera sua forma em 10 dias. Por fim, tudo está tão azeitado, que até “liberam” o jogador para uma cervejinha de sexta-feira. Tudo é lindo. Claro, se você for um completo idiota. Continue lendo “A força do profissionalismo corintiano”

Luis Fabiano x Adriano: uma disputa que não existe

Rapidamente, falando sobre as duas apresentações da semana que mais chamam a atenção: Luis Fabiano e Adriano. As comparações cessam aí, no alcance mediático: o primeiro tem uma carreira consistente na Europa, onde era titular de um time importante do continente e tido como um profissional de quem a torcida gostava. Mas importante que isso, é um jogador que poderia ter ido atuar em grandes equipes do futebol europeu, que foi titular na Copa passada. Ao contrário de Adriano, Ronaldinho Gaúcho, Roger, Carlos Alberto, Roberto Carlos entre outros, Luis Fabiano volta ao Brasil ainda como atleta de ponta, podendo dar ao São Paulo (dependendo de sua condição física) um futebol equivalente ao das maiores ligas do mundo.
Continue lendo “Luis Fabiano x Adriano: uma disputa que não existe”

Mística

Clubes têm místicas. Normalmente ligadas a um sentimento. Os gaúchos são comumente ligados à fibra de times passados e da resistência para não entregar os pontos. O Corinthians, pela ajuda mítica de sua torcida – assim como o Flamengo. O Santos sempre se remete à história de Pelé. Hoje em dia, contudo, esta mística é tudo o que resta para alguns clubes ignorarem as gestões sofríveis que têm. Ou como chamava Nelson Rodrigues, Sobrenatural de Almeida. Continue lendo “Mística”

Adivinhe? Adriano está “infeliz” na Roma e quer sair…

A chegada de Adriano ao Brasil (Corinthians) é muito provável (para não dizer certa). Adriano fracassou em mais um clube por conta de sua irresponsabilidade e falta de respeito por contratos afirmados. Pessimamente orientado, ganha muito dinheiro, mas não chega a 30% do que ganharia se jogasse tudo o que pode. Adriano parece muito ter adquirido as noções de caráter e respeito dos seus amigos da Vila Cruzeiro, os mesmos que fugiram como baratas da invasão do BOPE na quinta passada. Assim como alguns deles, o jogador pode até estar rico, mas cabe perguntar: ele tem uma postura decente? Continue lendo “Adivinhe? Adriano está “infeliz” na Roma e quer sair…”