Manchester United: e agora José?

No último domingo o inglês Manchester United acabou derrotado por 3×1, ao visitar o modesto Watford em partida válida pela quinta rodada da Premier League. Considerando-se os dois últimos resultados obtidos pelo time na liga inglesa e Europa League, o United de José Mourinho contabilizou sua terceira derrota consecutiva.

O treinador lusitano expressou sua insatisfação para com a arbitragem no pós-jogo, atitude que a esta altura de sua carreira, dá a entender a aqueles que o acompanham que a reclamação parece mais um jogo de cena, para tirar o foco dos atletas. No que diz respeito ao aspecto técnico/tático, Mou afirmou que não gostou dos espaços deixados pelo lateral-esquerdo Luke Shaw, substituído no fim da segunda etapa.

Qual o verdadeiro problema?

A realidade é que nas duas últimas partidas, o United teve como antagonistas equipes que adotaram posturas defensivas, obrigando os red devils a saírem para o jogo. O Feyenoord (pela Europa League) e o Watford inverteram a proposta de jogo usual de Mourinho, que por sua vez entrega a posse de bola ao oponente.

Nas duas ocasiões, o United ostentou maior percentual de posse de bola e acabou derrotado. Contra o Watford, o time de Manchester manteve 59% de posse, criando 13 ocasiões de gol das quais uma única finalizada por Marcus Rashford, acabou sendo convertida.

O Feyenoord propôs um 4-3-3 que se portou praticamente em 4-5-1. Treinado pelo italiano Walter Mazzarri (ex-Napoli), o Watford joga num 3-5-2 convencional, sendo o único time da Premier League que atua com três defensores genuínos. Com o espaço encurtado, os atletas do United parecem concentrar o intento de jogo, única e exclusivamente em Zlatan Ibrahimović. Quando o sueco não decide, tem-se um United abdicando do jogo coletivo.

O time de Mourinho surgiu com De Gea, Valencia, Bailly, Smalling e Shaw. Fellaini, Pogba, Martial e Rooney. Rashford e Ibrahimović. A princípio o desenho tático era um 4-2-3-1. O jornalista do periódico inglês The Guardian Michael Cox, descreveu o desenho enquanto um 4-3-3 inútil devido as presenças de Fellaini e Rooney, o segundo obrigado a atuar como meia.

É bem verdade que o plano de jogo de Mou foi afetado logo aos 38 min, quando Martial saiu por lesão, forçando a entrada de Ashley Young, jogador mais habituado à extremidade do campo. A substituição se dera dois minutos após o gol de Capoue, que abriu o placar para o Watford.

O empate do United resultante do gol de Rashford, surgiu oriundo de jogada individual de Ibrahimović aos 62 min. No mesmo instante, Mou trocou Valencia por Juan Mata e o intento parecia ser o de ordernar controle de posse de bola.

O desenho tático se tornou esquisito, com De Gea tendo à sua frente também um 3-5-2 com Bailly/Smalling/Shaw, mais o meio-campo com Pogba/Fellaini/Mata além de Rooney e Young mais agudos. Em meio a isso Ibrah e Rashford à frente, não conseguiam ser municiados. Mourinho não tinha nem um 4-2-3-1, nem um 4-3-3.

Os espaços no lado esquerdo.

O gol da virada do Watford aconteceu aos 83 min, em jogada protagonizada pelo colombiano Juan Zúñiga, que acabara de entrar, então expondo-se a deficiência do lado esquerdo da defesa do United. Sem um interditor fixo à frente da defesa, ou um meio-campista externo à esquerda para oferecer suporte, qualquer lateral sofreria.

Não temos dados do departamento médico dos red devils. Porém, o zagueiro Chris Smalling formou dupla de zaga com Eric Bailly, contra o Feyenoord e contra o Watford. O fato tornou Daley Blind opção para o banco de reservas, o que pode ter ocorrido em nome de sua forma física. O novo miolo de zaga tornou vulnerável a lateral-esquerda, sendo que tanto Marcos Rojo (contra o Feyenoord) quanto o citado Luke Shaw, tiveram problemas.

A imprensa inglesa obviamente ressalta que Mourinho terá de ter paciência. Não há como tornarmos claro se essa paciência se dá em relação ao que os atletas devem assimilar com o tempo, ou em relação a forma física ainda a ser adquirida.

Com o péssimo resultado, o Manchester United caiu para o sétimo lugar da tabela (9 pontos). A equipe volta a campo nesta quarta-feira pela Capital One Cup (copa da liga), visitando o Northampton às 15:45 hr (horário de Brasília).

Imagem de Ibrahimović lamentando chance perdida contra o Watford: Laurence Griffiths/Getty Images