Atlético de Madrid: neutralizados.

No último sábado, o Atlético de Madrid visitou o Barcelona em clássico válido pela vigésima-segunda rodada de La Liga. Os colchoneros perderam de virada (2×1), em confronto que estava sendo descrito enquanto “jogo do título”. O Barcelona consolidou a liderança (51 pontos), tendo ainda uma partida a menos.

Em termos numéricos os dois times tinham 48 pontos, antes da partida. O embate foi frenético, com o Atlético saindo na frente com um gol de Koke, aos 6 min. Jogando em seus domínios do Camp Nou (Barcelona/Catalunha), o Barcelona re-equilibrou a partida empatando com Messi (aos 29 min), e virando o jogo com Luis Suárez (aos 37 min).

Esperava-se um segundo tempo ainda mais disputado, não fosse a expulsão de Filipe Luís por entrada dura em Messi, pouco depois do gol de Luisito. O treinador Diego Simeone foi obrigado a desfazer o 4-4-1-1, que se vertia em 4-4-2, para recompor a linha defensiva.

“Cholo” Simeone sacou o meio-campista Gabi para colocar o lateral-esquerdo Gaméz. Inicialmente o meio-campo tinha Augusto/Gabi/Saúl/Koke, com Carrasco flutuando como “enganche” centralizado/segundo atacante, e Griezmann como homem referência. O Atlético atuaria para se defender, com Carrasco se aglutinando aos meio-campistas, para suprir a substituição forçosa de Gabi.

Empatar o jogo com um a menos já seria difícil e o zagueiro/capitão rojiblanco Diego Godín, também acabou expulso aos 67 min, após entrada dura em Suárez. Godín recebeu o segundo amarelo e a situação para o Atlético se tornava irreversível. Para completar, o recém contratado Augusto Fernández, sofreu uma ruptura no ligamento de um dos joelhos.

O resultado fez com que o Barcelona obtivesse sua vigésima sexta vitória consecutiva. O caminho até o título da atual edição de La Liga, parece tranquilo para os culés. O Atlético segue na vice-liderança, mas já vê o Real Madrid próximo um ponto atrás (47 pontos), após os blancos golearem o Espanyol (6×0), no último domingo.

Consequências.

Na coletiva pós-jogo, Diego Simeone enalteceu o esforço de seus atletas rojiblancos, os quais realmente não se omitiram do jogo. O treinador afirmou que desejaria que todas as suas derrotas fossem similares a este 2×1 contra os blaugrenas. A imprensa espanhola em contraparte, sublinhou o destempero emocional dos expulsos e automaticamente suspensos, Filipe e Godín.

Segundo o periódico espanhol El País, o meia Augusto Fernández deve permanecer por afastado dos gramados por dois meses. Thomas Partey que o substituiu, deve ganhar maiores oportunidades, assim como o jovem Matías Kranevitter. Por outro lado, a imprensa espanhola ressaltou a ausência do atacante Fernando Torres, não relacionado para o clássico.

Os jornalistas espanhóis afirmam que caso o Atlético não efetue uma aquisição definitiva junto ao italiano Milan, ainda nesta segunda-feira, a trajetória de Torres no clube que o revelou se encerra ao fim da atual temporada. A janela de transferências se fecha à zero hora do dia 2 de fevereiro (terça-feira).

Imagem de Godín deixando o campo expulso: Vicens Gimenez