La Liga: Real Betis, Sevilla e o derby de Heliópolis.

Tendo retornado à elite do futebol espanhol na atual temporada, o Real Betis recebe o Sevilla no Beníto Villamarín (Sevilha/Espanha), neste sábado pela décima-sexta rodada de La Liga. O caráter concedido pela rivalidade equaliza as forças de ambos os times, no chamado derby de Heliópolis. Betis e Sevilla protagonizam o clássico da Andaluzia.

Atualmente, o Sevilla ostenta condições de maiores ambições tanto dentro da Espanha, quanto em termos continentais. Por outro lado, de regresso à elite o Real Betis mantém uma perspectiva realista ciente de que o maior desafio, é seguir disputando a primeira divisão espanhola. O time alviverde se vê no décimo-primeiro lugar da tabela de La Liga.

Já o Sevilla ocupa a sétima colocação, além de manter-se regularmente em disputas de competições europeias, há algumas temporadas. Ainda que eliminado da Champions League, o clube defenderá o título da Europa League, adentrando esta competição em fevereiro.

O periódico espanhol El País destacou a presença do veterano meia Joaquín (34 anos), revelado pelo Betis, mas negociado com o Valencia, em 2006. O meio-campista retornou ao clube que o criou, na atual temporada e disputará o décimo-terceiro confronto contra o Sevilla, em sua carreira de jogador.

O El País ressalta que foram 121 confrontos entre Betis e Sevilla na história. Dos treze disputados por Joaquín, os dois primeiros se deram com as duas equipes disputando a segunda divisão espanhola. Joaquín fez parte do grupo bético campeão da Copa Del Rey 2004/2005, num elenco que incluía os brasileiros Ricardo Oliveira (hoje no Santos) e Denílson (hoje comentarista televisivo).

Em específico Joaquín disse se recordar do derby de Heliópolis, na edição 2004/2005 de La Liga, em que a equipe bética venceu pelo placar mínimo, com um tento anotado por Ricardo Oliveira. Na década passada a equipe alviverde mantinha-se em frequente disputa de índice para jogar competições continentais, inclusive tendo participado da Champions League.

No passado o derby de Heliópolis apresentou resquícios de violência, algo sensivelmente reduzido atualmente. Segundo Joaquín, quando o Betis visitava o Ramón Sanchéz Pizjuán, a torcida do Sevilla recebia o ônibus adversário com pedradas. Segundo o El País as autoridades locais disponibilizaram 350 policiais somados à 270 agentes de segurança, que estarão espalhados pelo estádio Benito Villamarín.

Joaquín afirmou que os 50 mil béticos que sustentam o clube, serão “50.011” neste sábado, contando os onze jogadores que estiverem em campo. Pepe Mel, técnico do Betis prometeu em coletiva pré-jogo que sua equipe será intensa, e que acima de qualquer resultado, deverá mostrar dedicação e compromisso para com seu torcedor, uma vez que joga em seus domínios.

Pelo outro lado, o treinador Unai Emery, refutou qualquer condição de favoritismo atribuído ao Sevilla. “A classificação não importa, não há favorito”, afirmou Emery. A equipe deverá ter relacionados seus principais nomes, tais quais os atacantes Konoplyanka, Vitolo e o meia argentino Ever Banega.

Real Betis e Sevilla jogam às 17:30 hr (horário de Brasília). No Brasil, La Liga espanhola está sendo transmitida pela ESPN e pelo Foxsports.

Imagem de Joaquín, no dia de sua apresentação à torcida do Real Betis no início da temporada: Paco Puentes.