Champions League: PSG x Real Madrid, sem gols.

Nesta quarta-feira, o francês Paris Saint-Germain recebeu o espanhol Real Madrid no Parc des Princes (Paris/França), em partida válida pela terceira rodada da fase de grupos da Champions League. O aguardado confronto terminou num empate sem gols, com ambos os clubes ostentando 7 pontos e as duas primeiras colocações do grupo A.

Para o lado dos merengues a partida foi algo a ser ressaltado, como o próprio treinador Rafa Benítez explicitou de forma exagerada em coletiva pós jogo, afirmando que os blancos foram “excepcionais”. Num certo sentido, os superlativos de Benítez podem ser encarados como enaltecimento merecido, aos “operários” da companhia galáctica.

A formação inicial de “el Madrid” teve Casemiro, Lucas Vásquez e Jesé entre os titulares. O time blanco convive com nove de seus atletas principais padecendo de problemas musculares, um destaque negativo. Entre estes nove desfalques estão Benzema, James Rodríguez e Gareth Bale. O último sofreu sua nona lesão muscular, desde que chegou à Madrid em 2013. Uma curiosa coincidência numerológica.

Na Espanha, o El País ressaltava na véspera do jogo, a figura do doutor Jesus Olmo chefe do departamento médico de Chamartín. Olmo não é bem quisto pelos jogadores do plantel, muito provavelmente por não ter tido uma boa relação com o ex-técnico Carlo Ancelotti, durante a temporada passada. Em contraparte, o El País sublinhou que Olmo nunca escondeu insatisfação com os métodos “antiquados” de preparação física, utilizados por Carletto.

Ainda assim, o Real Madrid fez uma partida exemplar em termos defensivos, diante do PSG. Casemiro, o primeiro volante à frente da linha de quatro defensores do 4-2-3-1/4-3-3 de Benítez, foi um dos melhores em campo, sendo o brasileiro o ponto de referência do sistema defensivo blanco.

Casemiro está predominando num espaço disputado com o recém contratado Kovacić, também vetado na véspera (mas presente no banco de reservas), por problema muscular. O capitão Sérgio Ramos, recuperando-se de uma lesão no ombro foi
à campo no sacrifício. Isso uma vez que Pepe também é uma das nove vítimas da “epidemia” de problemas musculares.

PSG no limite?

Com um Real Madrid cheio de problemas e definitivamente sem sua força máxima, o PSG apenas ofereceu um bom teste aos coadjuvantes blancos, que se defrontaram com as melhores peças de ataque à disposição de Laurent Blanc. O ataque parisiense começou com Ibrahimović, Cavani e Di Maria, terminando a partida com Ibrah, Lavezzi, Pastore e Lucas Moura.

A equipe de Blanc segue tão burocrática quanto na temporada passada. Com todos os titulares (o que inclui o indisponível David Luiz), o PSG faz frente aos grandes da Europa, mas Blanc é um técnico limitado. A equipe é bem organizada na defesa, mas se seus homens de ataque não conseguem fazer um “omelete sem ovos”, nada acontece.

Real Madrid e PSG voltam a se enfrentar já na quarta rodada da fase de grupos, no dia 03/11. A partida acontecerá no Santiago Bernabéu (Madrid/Espanha).

Imagem de Cristiano Ronaldo contra o PSG: Charles Platiau – Reuters