Coppa Itália: Milan avança às quartas de final.

Nesta última terça-feira o Milan bateu o Sassuolo por 2×1 na partida única válida pelas oitavas de final da Coppa Itália, partida esta realizada no San Siro (Milão/Itália). A equipe rossonera parecia um tanto quanto “mordida”, ao rever o Sassuolo, que os venceu na rodada da Série A, realizada após a pausa de fim de ano. Na ocasião o Milan perdeu de virada por 2×1, também em San Siro.

O técnico Pippo Inzaghi lançou mão do atacante Alessio Cerci, aberto pelo lado direito e Pazzini, fixo como referência na área. Cerci chegou como moeda de troca cedida pelo Atlético de Madrid, na negociação por Fernando Torres. Com o espaço cedido por “el niño”, Pazzini por sua vez, ganhou nova chance e retribuiu a confiança, marcando o primeiro gol da contagem total aos 38 min do primeiro tempo. O passe foi de Cerci.

Ironicamente, Cerci era relacionado ao Milan antes da atual temporada se iniciar. O atacante que disputou o Mundial 2014 pela Itália acabou no Atlético de Madrid. Nesta terça, mostrou-se solícito e agressivo buscando jogo, finalizando e mostrando ação na cobrança de bolas paradas. Foi outra inesperada “mais valia” dentre as últimas aquisições milanistas, junto a Jéremy Ménez e Giacomo Buonaventura.

O atual plantel milanista mostra um grupo de jogadores que se equivale. Em caso de necessidade de substituições, a peça que entra no time não obriga o desenho tático (em 4-2-3-1) a mudar tão drasticamente. Tendo em vista a janela de transferencias ainda aberta, o elenco carece de uma ou duas contratações para o setor ofensivo, que cheguem prontas para serem protagonistas.

Estas não precisam ser Messi nem Cristiano Ronaldo, podendo se adequar ao atual planejamento salarial vigente em Milanello. Especificamente, estes atletas devem estar já habituados ao futebol italiano e/ou serem “refugos” de uma equipe em alta da Premier League ou da Bundesliga. O suíço Shaqiri, mais novo reforço da Internazionale (agora ex-FC Bayern), jogaria fácil no time do Milan. Uma meia ofensivo versátil seria um ganho para o elenco rossonero.

Mesmo obtendo um “reforço platônico”, este não fará do Milan candidato ao título da próxima Champions League, isso se é que Inzaghi conseguirá manter o time na zona de classificação para o torneio continental; ao fim da atual Série A. A realidade rossonera hoje, caso volte a disputar a CL, demanda pretensões similares às de times como Arsenal, Borussia Dortmund ou Atlético de Madrid. Só obterá algo fazendo “mais com menos” e valendo-se do “bom e barato”, em termos de aquisições.

Voltando a partida.

Após tomar o gol de empate do Sassuolo, oriundo de penalti duvidoso cometido por Zapata, o Milan mostrou volume de jogo e ênfase na busca pelo resultado que veio aos 86 min da partida. Após bate-rebate na área adversária, o onipresente Nigel De Jong chutou forte bola que sobrou após ter sido chutada por Poli, e deu a vitória ao rossonero.

Num todo o Milan não jogou mal e o próprio Inzaghi expressou à RAI italiana os bons números obtidos por seu time, no começo de seu pronunciamento “Demos 16 chutes no gol, 13 dentro da área, 1 na trave e 1 no travessão”. No pior dos desfechos de temporada possíveis, vencer a Coppa Itália pode ser um bom prêmio de consolação.

A Coppa Itália segue tendo partidas das oitavas de final nesta quarta e quinta-feiras. A competição está sendo transmitida no Brasil pela ESPN.

Foto de Cerci contra o Sassuolo pela Coppa Itália: acmilan.com