Serie A – Milan x Inter: a volta de Roberto Mancini.

Neste domingo, muitas atenções estarão voltadas para a Série A italiana onde o derby de Milão disputado entre Milan e Internazionale acontecerá às 17: 30 (hr de Brasília), no San Siro. Pelo lado interista, a atração é o retorno do técnico Roberto Mancini, subitamente contratado por Erick Thohir, atual mandatário neroazzurri. Mancini entra na vaga do demitido Walter Mazzari e isso num panorama não muito bom.

O que acontece com a Internazionale se dá com todas as equipes do contexto da Serie A italiana, mesmo com as mais tradicionais como a própria Inter e seus rivais Milan e Juventus. A crise financeira e o descrédito devido aos escândalos de manipulação de arbitragem da metade da decada passada, ainda cobram o seu preço junto ao futebol italiano. A Inter é a última campeã italiana da Champions League, titulo este que compôs a tríplice corôa de 2009/2010, conquistada por um time comandado por José Mourinho.

De lá pra cá, seu ex-mandatário Massimo Moratti vendeu em 2013 a maior parte das ações interistas ao indonésio Erick Thohir, que por sua vez é co-proprietário do DC United (da MLS ynakee) e acionista do Philadelphia 76ers (da NBA yankee). Em menor relevância, Thohir ainda mantém dois times de basquete e um time de futebol na Indonésia.

A presença de Thohir gera críticas na Itália, um lugar onde a mentalidade futebolística é exageradamente conservadora. Destacando a desfiguração de um recente período vitorioso dos neroazzurri, o periódico espanhol El País frisa os ditos de Luís Suárez (não confunda com o uruguaio), atleta espanhol que integrou a Inter na época do bi-campeonato europeu entre 1963/1964 e 1964/1965. Luís é enfático em afirmar que a Inter “perdeu a personalidade”.

No entanto, o El País ressalta a condição de “sonsa” sempre atribuída a Internazionale na Itália, por vezes “feita de boba” pela Juventus e pelo Milan. O periódico espanhol ressalta ainda um choque de ideologias com a entrada da Inter na era do futebol gerido por magnatas multimilionários. O clube neroazurri é relacionado aos partidos da esquerda italiana, herdeiros do intelectual Antonio Gramsci, filósofo italiano interprete de Karl Marx. Ao passo que a Juventus tinha com a tradicional família Agnelli e o Milan era um “artefato de marketing político” do outrora primeiro ministro Silvio Berlusconi, a Inter carregava alguma simpatia “anti-establishment”.

A volta de Mancini.

Roberto Mancini volta a Appiano Gentile mais como reminiscência de um período vitorioso recente. O ex-meia italiano estava a frente do time neroazzurri antes da chegada de Mourinho. São creditadas a sua gestão os títulos italianos 2004/2005, 2005/2006, 2006/2007 e 2007/2008. Os dois primeiros foram vencidos no “tapetão”, retirados da Juventus que os ganhou em campo, mas os perdeu devido aos escândalos de manipulação de arbitragem.

Os dois últimos Mancini teve graças aos esforços de Zlatan Ibrahimović, então atleta interista. Em todos os casos, a Inter venceu dentro da Itália com a Juventus rebaixada para a Série B e com o Milan, também “nas cordas” envolvido em menor grau com as irregularidades. O último trabalho de relevância de Roberto Mancini, que não é exatamente um técnico fora de série, foi a frente do Manchester City onde conseguiu obter o título da Premier League 2011/2012.

Em sua primeira passagem por Appiano Gentili, Mancini tinha jogadores como citado Ibrahimović, Javier Zanetti, Júlio César, Walter Samuel, Juan Sebastian Verón, Hernan Crespo, um jovem e promissor Adriano “imperador”, entre outros. O antigo mandatário Massimo Moratti é lembrado por suas loucuras financeiras em nome de craques como Ronaldo, Roberto Baggio e Christian Vieri. Hoje a Inter não tem nomes relevantes em campo.

A Inter se vê em nono lugar (16 pontos) da tabela da Série A além de disputar a atual edição da Europa League. O panorama do rival Milan (sétimo lugar) também não é dos melhores. O derby de Milão já teve dias de maior glamour. Milan x Inter pela décima segunda rodada da Série A, será exibido neste domingo pela Fox Sports na televisão brasileira.