Ligue 1: L’déséquilibré et le chasseur.

A Ligue 1 francesa teve a abertura da sua décima quarta rodada na última sexta-feira quando o Paris Saint-German visitou o Metz, cercado pela expectativa do retorno de Zlatan Ibrahimović. O técnico Laurent Blanc poupou alguns atletas como Lucas e Cavani (que entrou no segundo tempo), uma vez que há partidas da Champions League neste meio de semana. O PSG venceu o Metz por 3×2 e “dormiu líder”, passando momentaneamente o Olympique Marseille que jogaria neste domingo.

O PSG assume a condição de caçador em relação do time marselhês do técnico argentino Marcelo “el loco” Bielsea. Contra o Metz, o time parisiense fez 2×0 facilmente em menos de 20 minutos de partida. Javier Pastore abriu o placar, ampliado por um gol contra do adversário. Surpreendentemente, o Metz empatou no início da segunda etapa, com dois penaltis duvidosos marcados pelo árbitro.

Já com Cavani em campo, a linha de frente parisiense tinha Lavezzi, Pastore, Ibrah (que foi escalado de início) e o próprio uruguaio. Aumentando a intensidade nos minutos finais da partida, o PSG obteve o gol da vitória após grande jogada de Ibrah, que finalizou. A bola foi desviada pelo goleiro do Metz, e sua trajetória em direção ao fundo da meta foi apressada por Lavezzi que fez 3×2.

Em 4-2-4.

O PSG mostra um desenho tático curioso e um pouco diferente do 4-2-3-1 atualmente em voga na Europa. O elenco não dispôe de “centro-campistas” e tem muitos atacantes que podem atuar pelos lados do campo. Com a posse de bola o PSG se desenha em 4-2-4, opção tática esta implementada ainda pelo técnico Carlo Ancelotti. Pastore (mais), Lavezzi (menos) e Ibrahimović recuam para buscar jogo. Os dois primeiros, tem caracteristicas de meio-campistas.

Ibrah demonstrou alguma falta de condicionamento físico pois retornou de lesão na rodada anterior, entrando no segundo tempo da vitória contra o Marseille, cerca de duas semanas atrás. No domingo, o Olympique Marseille recebeu o Girondins Bordeaux num embate tradicional na França e venceu tranquilamente por 3×1, retomando a liderança.

O desafio do Marseille é manter a regularidade física até o fim da Ligue 1 com um elenco dotado de menos opções técnicas brilhantes, tal qual o do PSG. O que dá ao time de “el loco” Bielsa a condição de “franco atirador” é ter atenção exclusiva na liga, uma vez que o Marseille não joga nenhuma copa europeia nesta temporada.

O time marselhês pode ter um “up” psicológico na reta final da temporada, onde o PSG provavelmente estará dividindo as atenções entre Ligue 1 e mata-mata da CL. O louco pode ser um caçador em vantagem. O Marseille detem 31 pontos a frente da tabela da Ligue 1 com o PSG ostentando 30 na vice-liderança.

Foto de Ibrahimović contra o Metz: Patrick Hertzog – AFP