Frank goes to Manchester

“And I must be and acrobat/
To talk like this and act like that/
And you can dream, so dream out loud/
And don’t let bastards grind you down”
(“Acrobat” – U2)

No último domingo, o líder da Premier League Chelsea foi ao Etihad Stadium enfrentar o atual campeão Manchester City, pela quinta rodada do torneio. Os blues colocavam a prova o 100% de aproveitamento, até ali com quatro vitórias em quatro jogos seguidos. 100% de aproveitamento que se perdeu, com placar que acabou ostentando empate em 1×1.

O jogo em si foi ruim, levando-se em conta que ambos os times atuaram no meio da semana pela primeira rodada fase de grupos da Champions League. Mostrando postura defensiva, ambas as defesas davam poucos espaços. O panorama ia se propagando pelo segundo tempo da partida, até o lateral citzen argentino Zabaleta, receber o segundo amarelo e ser expulso.

Com um homem a mais, o Chelsea chegou ao gol minutos depois com Schürrle. Havia um certo frisson, pelo fato de Manuel Pellegrini ter relacionado o meia Frank Lampard para o jogo. Lampard atua pelo Manchester City até janeiro de 2015, quando iniciará a temporada da MLS yankee. O ex-meia do Chelsea jogará pelo New York City, cujos proprietários são os mesmos do Manchester City.

Frank contra o Chelsea.

Perdendo o jogo com um homem a menos, a impressão que se teve foi a de que Pellegrini apelou para a desestabilização psicológica, dispondo exatamente Lampard em campo. O sempre disciplinado Frank, colocou a camisa para dentro do calção em meio a manifestações que expressavam respeito por parte da torcida do Chelsea, e entrou no lugar de Kolarov. Pouco depois aproveitou jogada de Milner, iniciada com um lançamento, fazendo exatamente o gol do empate citzen.

Frank, maior artilheiro, recordista de assistências e capitão do Chelsea no título da Champions League 2011/2012, obviamente não comemorou o tento anotado contra os blues. A imprensa europeia recordou um gol de Denis Law anotado pelo Manchester City em 1974. Law havia sido ídolo do Manchester United, tendo marcado um gol contra os red devils, exatamente na temporada em que o United caiu para a segunda divisão. O gol de Law contra o United também fora o último de sua carreira profissional.

Quando Lampard chegou ao City no começo desta temporada, afirmou que preferia não atuar contra os blues e disse também que gostaria de ficar em Stamford Bridge, até 2015. O periódico espanhol El País, rememorou um pedido de Pat Lampard, mãe de Frank, falecida há seis anos, que pedira ao filho para nunca deixar o Chelsea. A sra. Lampard faleceu pouco antes da final da Champions League em que o Chelsea foi derrotado pelo Manchester United, em 2008.

Quis o destino que o capitão “mau caráter” Terry fosse expulso contra o Barcelona nas semifinais da CL 2011/2012, estando assim suspenso na final daquela edição do torneio. Frank levantou o trofeu mais importante da história dos blues. Por outro lado, o Chelsea não o destratou, muito pelo contrário tendo extendido seu vínculo, que deveria ter sido encerrado ao fim da temporada 2012/2013, após a conquista da Europe League.

Na posição onde Lampard (hoje com 36 anos) reinou por cerca de dez anos, o Chelsea tem Matic, recomprado junto ao Benfica no começo do ano e Fàbregas, que re-encontrou seu bom futebol. Além do brasileiro Ramires e os três precisam atuar, como tem atuado. José Mourinho, por sua vez, “inventor” de Frank como jogador afirmou que “não crê em histórias de paixão e coração” e que vê o “futebol como algo pragmático”, “um trabalho”.

O ‘special one” arrematou afirmando que Frank pode vir a ser seu próprio “sucessor como treinador do Chelsea”. Os blues ainda lideram a Premier League com 13 pontos, três a frente dos vice-líderes.

Foto: fanpage oficial da Premier League no Facebook.