Barcelona: e agora Luís Enrique?

O Barcelona tetracampeão da Champions League, estreia nesta quarta-feira no torneio mesmo contra o APOEL, na Catalunha. A chegada de Luís Enrique ao comando técnico blaugrena para a temporada 2014/2015, deve dar um rumo normal às engrenagens culés. Algo que deveria ocorrer desde a saída de Pep Guardiola.

Luís Enrique era o sucessor natural de Pep, mas recebeu uma proposta da Roma na temporada 2011/2012 e foi fazer o “caminho das pedras”. O Barcelona também erra e o “plano b” foi efetivar o hoje falecido Tito Vilanova, que então tornou-se sucessor de Luís Enrique no Barcelona B. Tito a duras penas e se tratando de um câncer venceu a liga espanhola 2012/2013. A doença o impediu de prosseguir e o vitimou fatalmente.

Numa das maiores “ideias de gêrico” da história do Barcelona, o planejamento (mal feito) para a última temporada de 2013/2014, foi a contratação do técnico argentino Gerardo Martino. Técnicos argentinos e sul-americanos estão em alta na Europa e são sim competentes. Porém, enfiar “Tata” Martino no maior clube da Europa com a obrigação de ter bons resultados em dois torneios simultâneos (La Liga e CL), em sua primeira experiencia no continente, era no mínimo insano.

O chileno Manuel Pellegrini levou pelo menos uns dez anos para chegar onde chegou, ou seja ao título da última Premier League com o Manchester City. Com Martino, o Barcelona viu os dois rivais de Madrid levarem todos os títulos que disputou. O Atlético de Madrid os eliminou da CL e o Real Madrid os bateu na final da Copa Del Rey. Ambos fizeram a final da última CL. A conclusão é que os blaugrena também se valem do artifício tipicamente macunaímico do técnico “tampão”.

O problema do comando técnico era apenas um dentre outras “estranhezas” nos bastidores do clube. Tais quais punições impostas ao clube catalão por irregularidades na contratação de Neymar e irregularidades na manutenção de atletas das categorias de base. O time deve ficar todo o próximo ano de 2015 proibido de contratar jogadores como punição.

Alguma reposição para ídolos velhos como Xavi, Valdes e Puyol foi realizada na última janela de transferências. Tratava-se de outro problema que afetava o clube nas últimas temporadas e que demorou para ser sanado, sobretudo na questão reposição de zagueiros de área. Não é o Vitória de Setúbal, o Cardiff, a Lecce ou o Guarani. Estamos falando do Barcelona que pode adquirir qualquer atleta, que pode contratar qualquer treinador do mundo.

Nas últimas CL o melhor resultado recente do Barça foi a semifinal da temporada 2012/2013, quando foi eliminado de forma humilhante pelo FC Bayern. O último título nesse torneio se deu na temporada 2010/2011. Por fim, Luis Enrique deve colocar o Barcelona nos trilhos ao menos dentro de campo. O que não garante que ele venha a ser um treinador tão genial quando Guardiola.