The portrait of David Beckham

David Robert Joseph Beckham atualmente tem 37 anos. Despontou para o mundo no fim da década de 90 como externo de direita do Manchester United. Em 1998, no Mundial da França ficou marcado por uma expulsão imatura num confronto do English Team contra a Argentina.

Um ano depois era um dos pilares do Manchester United que venceria a Champions League e o Mundial de Clubes que ainda se chamava Taça Intercontinental, contra o Palmeiras em 1999. Beckham era um dos principais jogadores em baixa faixa etária lançados por Sir Alex Ferguson, naquela ocasião em que foram descritos como “the Ferguson babies”.

Pela geração ser muito talentosa, Sir Alex os lançou rapidamente num time montado ao redor de Eric Cantona. Além de Beckham estavam os jovens Ryan Giggs, Paul Scholes e Roy Keane naquele período vitorioso em Old Traffold.

FBL-FRA-LIGUE1-PSG-TRAINING

Agora em 2013, Beckham chegou no último dia da janela de transferências de inverno a Paris, contratado pelo “neo zilionário” PSG. Seu vinculo com o yankee LA Galaxy estabelecido desde 2007, então visando o fim de uma carreira, se encerrou.

Neste meio tempo Beckham se propôs a estar presente no Mundial de 2010 na Africa do Sul, com consentimento do então técnico da Inglaterra, o italiano Fabio Capello. Em 2009 e 2010 quando o recesso da MLS coincidia com o desenvolvimento do segundo turno da temporada européia, Beckham esteve no Milan, ainda comandado por Carlo Ancelotti e pouco depois por Leonardo.

Capello havia solicitado a Beckham que atuasse na Europa para poder ser convocado. Nas últimas rodadas da Série A de 2009/2010 Beckham se lesionou e foi a Africa como “capitão não jogador”.

O curioso caso de David Beckham…

Ancelotti (técnico) e Leonardo (dirigente) do PSG sempre atraiam rumores de que mr. Becks poderia ser levado para Paris. No Milan, Ancelotti chegou a dispor o meia britânico pela faixa esquerda central em algumas situações, por vezes até mesmo como terceiro homem de meio de campo.

As peças milanistas para o setor já padeciam da temporalidade, naquele periodo Pirlo, Seedorf e Gattuso. Beckham revezava com os citados. O atual meio campo do PSG não dispõe de um meia que centralize o jogo, cabendo em muitas situações a Ibrahimović recuar para buscar a bola. Pastore e Lucas tem atuado pelo lado esquerdo e direito respectivamente.

Lançando-se ao ataque ou compondo o meio de campo quando necessário. Ambos porém não possuem características de meias clássicos. Talvez Beckham possa ser funcional neste setor além de servir de “tutor” para a promessa italiana Marco Verratti, que Ancelotti tem disposto no meio campo do PSG de maneira similar a Andrea Pirlo na época do Milan. Ancelotti que além de “inventar Pirlo”, atuou na função.

O curioso é que Beckham segue em forma, guardadas as devidas proporções no que diz respeito ao condicionamento físico de alguém com a sua idade. Midiaticamente ainda atrai holofotes na Europa, não como na época de sua estrondosa chegada ao Real Madrid, entre 2003 e 2004, início do declínio da alta “I era galáctica” de Florentino Pérez.

Junto aos galácticos originais, Beckham foi campeão apenas da Supercopa da Espanha de 2003, parte de um time que ainda tinha Figo, Zidane, Raul, Ronado e Roberto Carlos. Além do título espanhol de 2006/2007 com o Real Madrid “pós Florentino Perez” já em fase de reformulação tendo pela segunda vez em sua história o técnico Fabio Capello no comando técnico.

Beckham lembra algo de Dorian Grey, personagem do escritor inglês Oscar Wilde que protagoniza o romance “O Retrato de Dorian Grey”, onde o personagem título barganha com o desconhecido por uma juventude prolongada. É inclusive com uma alusão ao titulo original da obra de Wilde que iniciamos este post.

Beckham estreou pela Ligue 1 no último fim de semana entrando no segundo tempo da partida contra o Olympique de Marseille. Deu o passe para o segundo gol marcado por Javier Pastore na vitória do PSG por 2×0. O PSG enfrenta o Marseille novamente nesta quarta feira agora pelas oitavas de final da Cup de France. Beckham pode ser titular.

(Foto: Beckham em seu primeiro treino no Camp des Loges, em 13/02. www.gazetaesportiva.net – AFP)

2 respostas para “The portrait of David Beckham”

  1. É estranho falar isso de alguém que ganhou dinheiro suficiente pra sustentar uma esposa digna do “Mulheres Ricas” e mais três gerações da sua família, mas eu acho Beckham uma vítima de si mesmo. Sempre foi um jogador formidável e, segundo todos os relatos, um profissional exemplar e ótimo sujeito. Ainda assim, nunca teve o reconhecimento devido e sempre foi visto com olhares desconfiados, tamanho o circo midiático que foi criado em torno dele. Isso que o levou por exemplo, a ser exilado nos EUA quando Capello começou a caçar culpados por tudo que o clube tinha se tornado(vindo depois a se arrepender da decisão) e a ser deixado de fora das Olimpíadas que ele ajudou a trazer e divulgar, sendo que outro dinossauro foi levado, Ryan Giggs. Talvez se ele tivesse uma cicatriz de infância, fosse lembrado melhor pelo que fez dentro do campo ao invés de ser apenas uma celebridade do futebol aos olhos gerais.

Os comentários estão desativados.