EURO 2012: Alemanha absoluta, esperançosos lusitanos.

A segunda rodada dos jogos da fase de grupos da EURO 2012 se iniciou na última terça feira. Com a Rússia a frente com três pontos e Grécia junto a Polônia em segundo com um ponto cada, os resultados que se seguiram embolaram o grupo A.

Com dois gols anotados rapidamente no início do primeiro tempo a República Tcheca venceu a Grécia por 2×1 e muitos analistas destacaram a presença de Thomas Roscky, meia do Arsenal. Após o Mundial de 2006, Roscky permaneceu por muitas temporadas sujeito aos efeitos de uma rara lesão muscular.

Voltou a aparecer em partidas pelos gunners ha pouco tempo. Os tchecos ascenderam ao segundo lugar com três pontos. A Rússia empatou com a anfitriã Polônia em 1×1, seguindo líder com quatro pontos. O confronto foi tenso, entrecortado por conflitos entre torcedores russos e poloneses. Aponta-se motivos étnicos do passado soviético uma vez que a antiga URSS anexava forçosamente a si o território polonês.

Violência a parte todos já são unânimes em apontar o meia/atacante russo Alan Dzagoev como destaque soviético. Apesar de deter alguma tradição a Grécia campeã da EURO 2004 deve ficar para trás. Russos e tchecos são as apostas deste que vos escreve.

Na quarta feira pelo grupo B Dinamarca e Portugal fizeram uma partida movimentadíssima com os lusitanos chegando a estar vencendo por 2×0. Os dinamarqueses empataram mas no finzinho do segundo tempo o português Varela fez o gol da vitória. Dinamarca 2×3 Portugal.

A seleção portuguesa apresenta um bom volume de jogo ofensivo que é verdade, teve dificuldade contra a Alemanha na estréia. Nani e Helder Postiga mais os avanços de Fabio Coentrão são as peças de destaque mais Cristiano Ronaldo que parece ter desistido de se posicionar para as câmeras enquanto joga.

Um CR7 bem diferente da EURO 2008 e do Mundial de 2010, possivelmente, sinais da influência positiva do convívio com José Mourinho em Madrid. Afora as limitações defensivas (sobretudo para conter resultados obtidos muito rapidamente) Portugal enfrenta a Holanda com moral elevada na próxima rodada.

E a Holanda decepcionou. A seleção laranja enfrentou a favoritíssima Alemanha que só confirmou a sua superioridade fazendo os dois gols da vitória por 2×1 ainda no primeiro tempo. Ambos os gols anotados pelo artilheiro Mario Gómez (3 gols). O técnico Bert Van Marwijk soube anular bem o jogo pelos flancos que poderia ser proporcionado pelo nationaleff.

Podolski pela esquerda fez partida discreta. Muller cansou de apanhar pela direita. Porém o jogo alemão aconteceu pelo meio onde Schweinsteiger e Özil centralizaram as atenções e foram muito acionados. O primeiro gol de Gómez aconteceu com passe de Schweinsteiger. No segundo o artilheiro acertou um chute poderoso pelo lado direito do ataque alemão.

No segundo tempo, Van Marwijk sacou Van Bommel e Affelay dispondo respectivamente Van Der Vaart e Huntelaar. Viu-se maior dinamismo e com Huntelaar puxando a marcação até por ser mais apto ao jogo físico alemão (atua na Bundesliga), os holandeses chegaram ao gol com Van Persie em disparo que passou incrivelmente por baixo das pernas do zagueiro Badstuber.

O goleiro Neuer acabou atrapalhado pelo posicionamento de seu próprio defensor. A Nike teria desenvolvido o design do uniforme holandês inspirada em artistas plásticos holandeses como Vermeer e Rembrandt. Sem inspiração gênios padecem da própria cretinisse sendo qualificados como simples ‘cabeças duras’.

Arjen Robben que sofreu um corte exatamente na cabeça pouco fez. Wesley Sneijder até hoje só pareceu ter funcionado sob a batuta de José Mourinho. É o possível apagar das luzes para essa geração holandesa. A Alemanha vai para o último jogo contra a Dinamarca, já contabilizando seis pontos e podendo dar descanso a alguns titulares.

Grupos C e D.

Nos jogos de hoje quinta feira, Itália e Croácia empataram em 1×1. Os croatas eram os líderes do grupo com três pontos e agora vão a quatro pontos. A azzurra que até saiu na frente se complicou agora tendo apenas dois pontos. No jogo posterior a fúria Espanha justifica a sua condição de atual campeã da EURO impondo categóricos 4×0 em cima da frágil Irlanda já eliminada.

O destaque ficou para a presença de Fernando Torres autor de dois dos quatro gols espanhóis. Espanha e Croácia seguem a frente do grupo C com os italianos esperando por algum milagre. Amanhã o acontece a segunda rodada para os times do grupo D, aquele que possivelmente tem oferecido os jogos mais atrativos.

Embalada pela festa de sua torcida, a Ucrânia do herói nacional Shevchenko recebe a renovada França, tentando manter a liderança do grupo D. O time mais fraco deste grupo, a Suécia que ainda assim oferece a oportunidade de assistirmos o craque Ibrahimović, enfrenta com a Inglaterra que tenta alguma afirmação.

3 respostas para “EURO 2012: Alemanha absoluta, esperançosos lusitanos.”

  1. Opa caro, não só o Sneijder como o Robben e toda a Holanda fizeram bons papeis no Mundial 2010 como vc observou. Mas em termos de conquistas pela seleção ambos seguem empatados como os citados David e Luan! =/
    Abs!

  2. Boa tarde, muito bom o post, só não concordo com o comentário sobre o Sneijder, realmente pela Inter tem feito (muito) pouco, mas pela seleção jogou muito na Copa 2010, inclusive na final deixando o Robben duas vezes cara a cara com Casillas, em um jogo de poucas alternativas, e nessa Euro 2012 criou chances para os atacantes holandeses, principalmente no jogo contra Portugal, aliás, podemos colocar a (possível) eliminação holandesa na conta do Van Persie, a atuação dele contra Portugal fez Deivid (FLA) e Luan (PAL) parecerem bons finalizadores, até cair sentado em erro de chute o holandes conseguiu. Abraço.

Os comentários estão desativados.