UcraniManos e CorintiManos

Este é um post só para constar. É sobre a Seleção, uma convocação após um fracasso fantástico, etc. Só para isso. A lista de nomes de Mano Menezes reflete bastante duas coisas: a primeira, que é que com Kaká machucado e Ronaldinho Gaúcho aposentado do futebol, o Brasil não tem craques; a segunda, que num país onde se perdeu a vergonha de tudo – desde emissoras de TV fazendo coberturas viciadas até governantes corruptos enterrando dinheiro em estádios inúteis – perdeu-se também a vergonha de convocar qualquer um para a Seleção. Tendo o empresário certo, o mais inepto jogador pode chegar a defender o Brasil.

Não há meias palavras para explicar as decisões do técnico. Entre as convocações da colônia ucraniana e dos novatos brasileiros (além de alguns nem tão novatos), nada pode argumentar a favor deles.  André Santos, Ralf, Elias são, coincidentemente, “jogadores” do Corinthians ou do esquema de poder que orbita em torno do clube – são os “corintiManos”. Nenhum deles ganhou um título relevante, foi cogitado para jogar num grande clube europeu ou teve uma fase de hegemonia na posição em alguma fase da carreira. Vivem de um endomarketing introjetado em parte da imprensa e das declarações de Mano dizendo que eles são acima da média. Como disse Tostão hoje na Folha, são bons, como outros 500 que jogam no Brasil. Pegue um lateral-esquerdo a esmo entre os 10 maiores clubes brasileiros e você tem um substituto para André Santos. Simples assim. O mesmo vale para Elias, Ralf e outros futuros convocados de Mano via Parque São Jorge na atual gestão. Pelo que fizeram até hoje, estão na média, ou, como endossa o dicionário, são medíocres.

Dos outros jogadores que jogam no exterior, a escolha para a fase de testes de Mano segue a costumeira falta de timing e coerência. Luiz Gustavo e Renato Augusto tiveram momentos de muitíssimo mais destaque do que hoje – um momento no qual não se sabe quais as condições reais deles, pois estão de férias. Fernandinho, assim como todos os outros “UcraniManos”, merece tanto uma convocação quanto Marlos, Andrezinho, Wallyson ou quem quer que seja do futebol brasileiro. Nunca um clube de ponta quis contratá-lo, ele jamais comeu a bola, etc. A mesma ladainha dos  CorintiManos. E tem Dedé, zagueiro do Vasco que fez um bom Brasileiro – e coincidentemente joga num clube onde quem manda e desmanda é o empresário do técnico. Não há nenhuma prova de irregularidade, certo? Certo. Mas há um oceano de suspeitas.

A maioria dos técnicos da Seleção mantinha um certo pudor nas convocações, evitando absurdos. Mano não guarda esse tipo de cautela. Não é o primeiro. Entre os muitos exemplos, me lembro da convocação do “Craque” Zé Do Carmo, obscuro volante do Vasco, por Sebastião Lazaroni, que estava para o clube de São Januário assim como Mano está para o Parque São Jorge, quando o Vasco estava tão ao lado da CBF quanto o Corinthians está hoje. A chamada de Zé do Carmo levou o Casseta e Planeta, então somente uma revista independente carioca, a lançar uma camiseta promocional com os dizeres “Eu Não Convoquei o Zé do Carmo” para seus leitores usarem.

O problema com a gestão de Mano Menezes não é só de resultados – que são patéticos. Mano  tem uma fala empolada que agrada muita gente, mas em campo, seu time joga um futebol desinteressado, os jogadores têm um apego nulo e dão a nítida sensação de que sabem que hoje, a escalação passa longe da capacidade técnica. Até o momento, não há uma prova concreta, jurídica, de que Mano seja desonesto – que isso fique bem claro – mas ele faz questão de deixar sobre si todas as suspeitas: convoca jogadores obscuros, ligados ao seu empresário ou a parceiros, jogadores que não são sondados por nenhum clube do mundo e que não fazem nada demais, trabalha em parceria com uma gestão obscena do futebol brasileiro, etc. Além disso, Mano não dá sinais de que seja um grande técnico – não ganhou títulos, não formou jogadores em profusão, não montou estruturas duradoras, nada. Sendo assim, sem resultados, sem histórico, sem carisma, por que razão deveríamos esperar alguma coisa dessa Seleção?

12 respostas para “UcraniManos e CorintiManos”

  1. Não entendeu o que eu disse. Como disse o Raphael, o Brasil tem projetos de jogadores. No caso específico do Ralf, quem é o grande jogador brasileiro da função dele? Na minha opinião, o melhor é o Fernando, que não é um gênio. E sobre o desempenho do Ralf, ele fez um grande campeonato ano passado, haja visto que ele ficou sete jogos fora por lesão e o Corinthians não venceu nenhum e perdeu o título.

  2. Mas isso foi exatamente o que eu escrevi, Cassiano. Algumas convocações me causam estranheza, mas EU não cravaria a existência de um esquema. Ou seja, não disse que você o fez, afinal, ninguém tem provas disso.
    Sobre Carlos Leite, são três os atletas (além de Mano) agenciados por ele: André Santos, Lucas Leiva e Renato Augusto. O que significa que não é o caso de Ralf, embora ele possa fazer parte do suposto esquema dos “CorintiManos”.
    No entanto, correndo o risco de parecer ingênuo, prefiro esperar pelas provas. Aliás, para mim, é assim que as coisas deveriam funcionar.

    Abraço.

  3. Fulano (sem desrespeito – chamo vc de fulano, pq não tem seu nome no perfil), se vc acha que o rendimento de um volante em 10 rodadas do Brasileiro (numa edição particularmente ruim, até o momento) é o suficiente para merecer uma chamada à Seleção, respeito. Eu, sinceramente, acho que não. abs

  4. O Odvan era parecidíssimo com o Baresi. Até fisicamente um lembra muito o outro… :-/ abs

  5. O LUiz Gustavo deveria ter sido convocado há pelo menos um ano e meio, se fosse o caso. E naturalmente dizer que ele pode jogar na lateral é má-fé ou desconhecimento. O resto das suas observações falam por si só. abs

  6. Michel, eu escrevi literalmente (e fiz questão de ressaltar isso) de que não há nenhuma prova de esquema nem de que o Mano seja desonesto. O que há é suspeitas – se você não acha isso, entre as pessoas que eu conheço, você passa a ser a primeira (além do Carlos Leite e do pessoal da CBF). Em termos de provas, o que há, é uma falta de provas que o Mano seja um treinador com gabarito para comandar a Seleção. Sobre o Ralf, o ponto é que entre ele e qualquer volante de um time da Série A do Brasileiro (não exatamente um desfile de craques) – Carlinhos Paraíbas, Adrianos e afins – a diferença é quase nula. Abs

  7. Sinceramente, acho também que existe uma necessidade absurda de caça as bruxas de algumas pessoas.
    André Santos, Lucas Leiva e Renato Augusto são os únicos jogadores que têm ligação de fato com o técnico da seleção. Como você diz bem no início do texto, o Brasil não tem mais craques indiscutíveis, então é preciso testar. O Ralf, por exemplo, é o jogador com mais desarmes no campeonato brasileiro e não comete 2 faltas por jogo. Então é justo experimentar.

  8. Tostão é uma sumidade cósmica mesmo. Acho que nem Ricardinho, Ceni e Kaká conseguirão ter no futuro uma visão tão lúcida de futebol como tem Tostão.

  9. A verdade é que hoje o Brasil como você bem disse, não tem craques, no máximo projeto de craques. Sobre o Mano, realmente ele dá margem para que as pessoas possam especular sobre esquemas…

    Você convocar o Ralf por falta de opção, já que Lucas e Sandro não estão a disposição, é sinal de que há algo muito errado!

    Obs: Sobre o Dedé, tenho amigos vascaínos, e eu mesmo acho, que o companheiro de zaga dele (Anderson Martins) joga bem mais do que ele. Dedé é um zagueiro alto, de bom porte físico e veloz, porém muito atrapalhado/atabalhoado e por vezes inseguro e disperso na marcação.

  10. Já vi coisas mais suspeitas. A maior creio que foi o estranhíssimo caso envolvendo Odvan, que na época acreditava que seria o novo Baresi, e João Carlos, que tinha plena certeza que jogava mais que Maldini. O ex-jogador do Cruzeiro, se não estiver enlouquecendo, chegou a vir para o Corinthians em troca de uma grana e do Cris, que depois mostrou ter alguma qualidade.

    No atual momento do fut brazuca, não tenho nenhuma dúvida que se existir uma ampla pesquisa com o torcedor brasileiro, 99% dos jogadores convocados nela serão apenas médios.

    E tenho certeza que o Mano é bem pago para descascar esse abacaxi.

  11. Embora concorde que algumas convocações causam estranheza, eu não seria tão contundente ao afirmar que há um esquema. Escrevo isso, por um simples motivo: Em que época algum técnico da Seleção convocou jogadores que não eram contestados? Sempre foi assim! Não só no Brasil quanto no mundo. Mesmo um homem acima de qualquer suspeita como o falecido Telê tinha lá suas invenções. Lembra do volante Vítor, reserva de Andrade no Flamengo, e titular da Seleção com Telê? O próprio Tostão disse certa vez que se fosse treinador do Brasil levaria o Luís Fernando Martinez, ex-Cruzeiro e Palmeiras, acrescentando que sabia que seria criticado por isso.
    Sinceramente, não vejo nada de mais na convocação de Ralf, por exemplo. Sem Lucas (?) e Sandro, Mano precisava convocar alguém e nada melhor do que um que ele já conhece. Além disso, se há alguma coisa capaz de respaldar a convocação do corintiano são seus números no atual campeonato.
    Quanto ao Dedé, não faltam pessoas dizendo que o chamado é mais do que merecido. Lembrando que as opções para a zaga reserva não são assim tão fartas.

    Abraços.

  12. Se a CBF fosse séria, Mano já haveria sido demitido. Claramente, usa as convocações para favorecer empresários parceiros. As bolas da vez são Fernandinho e Dedé.

    O caso do Fernandinho me lembra o do Elano. Querem ganhar uma grana com o cara e vão usar a seleção como vitrine. Dedé foi convocado para ser valorizado. Tá na cara… Logo depois da Copa do Brasil já quiseram enfiar ele no Benfica…

    Onde está o projeto da seleção olímpica de que Mano Menezes tanto falava? Quantos jogadores chamados por Mano tem menos de 23 anos?

    Renato Augusto parece que tem crédito infinito com Mano Menezes, recebeu mais uma chance na seleção (Hernanes, nada).

    Onde estará Jádson? O craque que conquistou a torcida brasileira com a camisa 10 do Brasil no amistoso contra a fortíssima Romênia.

    André Santos nem precisa mais de reserva… E não venham com essa de Luiz Gustavo na lateral, ele mesmo já disse que não gosta de jogar lá e não jogou bem ali pelo Bayern. Se eu, um torcedor comum que nem vê tanto a Bundesliga, sei disso então Mano Menezes também sabe.

    É verdade que essa não é a primeira vez que um técnico da seleção usa as convocações para favorecer empresários. Nem é preciso ir muito longe, Dunga também tinha os esquemas dele, mas Mano Menezes é demais…

Os comentários estão desativados.