Por que é difícil Kaká chegar à Inter

A contratação de Leonardo pela Inter certamente não seria uma hipótese provável em junho passado, quando o próprio chegou a dizer que dificilmente comandaria um clube na Itália por causa de seu “amor” ao Milan. Mas uma eventual chegada de Kaká a Appiano Gentile, se não é difícil, desafia a lógica. Talvez a falta de respeito que os cartolas têm pela lógica seja o único fator que propulsiona um Kaká interista além da chegada de Leonardo.

Comprar Kaká seria para a Inter só uma vingança para a traição que o Milan arquiteta para junho, a de comprar Balotelli do Manchester City (sim, é uma possibilidade concretíssima arquitetada por Mino Raiola, empresário de Maxwell, Ibra e Balotelli). Mas com Kaká, além do risco de o brasileiro não ter mais a condição física ideal, Moratti também criaria um problema no elenco, porque teria em Sneijder um jogador de características muito similares, de difícil convivência num time que não tem uma defesa auto-suficiente. Seria preciso empurrar um dos dois para a frente e aí o problema passaria a ser com os2007-10-03 Kaká by parisbhoyatacantes.

Para Kaká, retornar à Itália seria péssimo para sua imagem. Leonardo sempre foi um coadjuvante do Milan, tecnicamente falando, mas Kaká é um ícone. Seu retorno seria visto como traição profunda. E mesmo para sua imagem de atleta, uma volta a Milão depois de uma temporada e meia na Espanha teria uma leitura inequívoca de fracasso que não teria como não refletir no valor de seus contratos de patrocínio.

Kaká custou R$140 milhões aos cofres do Real há pouco mais de um ano. É verdade que ele não está jogando, mas recuperado de lesão, tem futebol para se firmar como titular no lugar de quem quer que seja. É inimaginável que o Real frature o preço que pagou por Kaká, a menos que receba uma oefrta próxima do valor gasto. Se a Inter fizesse uma oferta de valor simlar à do Real, assumiria um grande risco: o de pagar uma fábula por um jogador cujo estado físico é suspeito. Kaká tem problemas no púbis há pelo menos três anos e a lesão que o levou a se operar também deixa uma pulga atrás da orelha. E por fim, Florentino Pérez só cederia Kaká à Inter com o aval de Adriano Galliani, um “parceiro” seu no G20 e amigo pessoal. As relação entre os dois são idiliacas e dificilmente a transação aconteceria às escondidas.

Mesmo com todos esses “contras”, não é impossível um golpe do gênero porque o futebol segue uma lógica muito própria e que atende interesses raramente visíveis. Se Kaká não se manifestou até agora é porque quer deixar a possibilidade em aberto e certamente Leonardo não acharia ruim em tê-lo como jogador na empreitada de sua “vingança” contra Silvio Berlusconi. Se desse tudo certo, seria uma paulada inesquecível da Inter no rival Milan. Mas no ‘Calcio’, esses golpes puramente emocionais tendem a não dar certo. Lembrando a sabedoria de Michele Corleone: “Nunca odeie seu inimigo. Isso afeta seu juízo”. O fato de Moratti estar pensando no assunto deixa claro que ele não está seguindo o conselho do Poderoso Chefão.

10 respostas para “Por que é difícil Kaká chegar à Inter”

  1. Cassiano, acho que é mais fácil especular sobre uma (im?)provável volta do Kaká à Itália do que sobre o Ronaldinho no Brasil…

  2. Se for, ele (Kaká) vai estar assumindo que sua passagem na Espanha foi um enorme fracasso.

  3. Acho muito difícil a ida de Kaká para a Inter. E se acontecer será um grande erro de todas as partes envolvidas.

    Mas como Florentino Pérez e Massimo Moratti já erraram de forma gigantesca outras vezes então eu não me surpreenderia com nada.

  4. Só uma outra coisinha: não descarto que essa possível ida do Balotelli para o Milan tenha também o dedo do Mancini. Seria uma pequena vendetta, digna de Don Corleone, contra a forma como foi dispensado pelo Moratti.

  5. Conheço um pessoal que vive me dizendo que por um bom tempo, por falta de dinheiro, Moratti vai centrar foco em contratações domésticas. O motivo? Simples, nelas ele poderá envolver jogadores para baratear o investimento necessário.

    E a maioria esmagadora desse pessoal pensa exatamente como você, Cassiano. Para eles, Kaká só chega se Sneijder tomar o rumo de Madri. E concordo com esse ponto de vista.

    Não considero impossível a ida dele para a Inter, mas é pouquíssimo provável. É bem mais provável, embora considere bem pouco indicada, a ida do Balotelli para Milanello. E os motivos até ontem pareciam três – hoje talvez já sejam quatro.

    Eles atendem pelos nomes de Mino Raiola, que receberá uma belíssima grana quando isso ocorrer, Berlusconi, que gosta do jogador, iria faturar politicamente e não ficaria nem um pouco triste em fazer esse sgarbo aos cugini, e Mario Balotelli, que parece mesmo querer voltar a jogar ao lado de Ibrahimović.

    O último, ao que tudo indica, chama-se Edin Džeko. Se o bósnio for mesmo para Eastlands, pela forma como o Mancini escalou o City nas duas únicas partidas que vi deles nesta temporada, não vai haver espaço para Tevez, Džeko, Adebayor, Santa Cruz, Jô e Balotelli. Ao menos dois nomes estão sobrando nessa brincadeira.

    Mas vamos esperar para ver o que irá rolar. O fato concreto é que o mercado nem começou e já está pegando fogo.

    PS: Boni, acho que Leonardo, no geral, foi um jogador nota 6,5. Naqueles bons momentos, nota 7. E acredito que o Bebeto foi bem pior do que ele na França-98.

  6. Leonardo é pura influencia e network

    jogou muitos anos na seleção brasileira por relacionamento e influência, chamava Zagallo de pai. Era o chaveirinho protegido do Zico no Fla, depois nao jogou naaaaaaada no São Paulo, foi nota 5 na espanha, fez uma Copa ruim, depois (+ uma vez) Zico o inventou como idolo na Jleague, que na época era 8 vezes mais fraca que hj.

    por ser politizado e articulado fez uma boa amizade com raros atletas com as mesmas caracteristicas como sócrates e raí em sao paulo, depois Raí o levou pro PSG. como era titular da seleção do “papai” zagallo conseguiu contrato no Milan, e por ser um gentleman/intelectual enrustido de jogador, conseguiu construir conexões sólidas com mafiosos como galliani e berlusconi.

    eu morava na Italia nessa época e digo; nenhum torcedor do milan gostava dele! inclusive o tomaso, taxista da fabrica, xingava ele barbaridade!!!!!! e com razão!

    dos titulares foi o pior jogador do Brasil na Copa de 98!!

    voltou pro brasil e foi tão mal, mas tãooo mal no SP e no Fla, que nem registro dessa passagem é possivel encontrar rsrs e olha que ja existia internet!

    tiro o chapéi pra ele como um ser pensante dentro do futebol, daria um dirigente incrivel, mas como jogador eu acompanhei a carreira dele inteira e dou nota 4! se fosse paraibano e tivesse começado a carreira no Goiás, sem influencia e proteção, nao ganharia os contratos que ganhou como jogador.

  7. Kaká tem lenha pra queimar em Madrid. Quem tava jogando ele pra escanteio lá, estava se garantindo em Özil e Di Maria demais. Depois dos 5 a 0 pro Barça, com Özil sendo engolido por Busquets pela 2ª vez em 4 meses (a primeira foi na semifinal da Copa) e com Di Maria mal notado em campo, os caras viram que não podem se desfazer de um Bola de Ouro assim.

    Sem contar que Kaká foi o MOTM do superclássico do Camp Nou ano passado, mesmo com a derrota. Em boas condições físicas, pra mim, está abaixo só de Messi. Nivela com CR em recursos técnicos e poder de decisão. E só com os dois juntos pro Madrid bater de frente com esse Barça. Mourinho já percebeu e duvido que libere o Kaká.

  8. Também acho difícil que essa negociação ocorra. Porém, não é impossível.
    Não é impossível porque não há certeza de que Kaká irá recuperar o posto de titular no Real Madrid e um jogador da estatura dele não fica na reserva. Além disso, o Real Madrid é famoso por perder dinheiro em suas negociações.
    Pelo lado da Inter, o encaixe do brasileiro no time não deve encontrar tantos obstáculos do ponto de vista tático. Na melhor fase de sua carreira, Kaká atuou como atacante caindo pela esquerda, mais ou menos a mesma função que Pandev desempenha hoje, uma vez que o macedônio troca de lado com Eto’o frequentemente.
    Particularmente, acredito que o 1º semestre de 2011 deve ser decisivo nessa história. Se Kaká for bem, fica. Caso contrário, são poucos os clubes que podem pagar seus salários. E a Inter é um deles.
    Abraços.

Os comentários estão desativados.