Será que a Copa dá lucro mesmo?

Um professor da Universidade de Maryland, nos EUA, decidiu combater o que ele considera que será, na visão dele, a doação de “bilhões de dólares dos americanos para o bem-estar corporativo” – a Copa do Mundo. Dennis Coates, que também foi presidente da Associação dos Economistas de Esporte, afirmou, em artigo publicado pelo jornal Los Angeles Times, ele não se declara contrário à realização da Copa do Mundo. “Também sou um fã de esporte”, afirma. Contudo, ele contesta veementemente a candidatura americana que, como todas as outras, prevê lucros astronômicos impossíveis de até R$5 bilhões, enquanto na verdade, deve custar ao contribuinte cerca de R$12 bi. “Não acho certo fazer esse esforço num momento em que 10% da força de trabalho está desempregada”, afirma Coates.

PS: esta nota foi publicada no diário Lance! em 25/09.