Apresentação da temporada – Brescia

Um time simpático, em dúvida, mas com uma torcida violentíssima e com uma vocação para subir e cair em seguida. O Brescia, quarto time da Ligúria e ex-casa de Roberto Baggio (como o Bologna de ontem), volta á divisão máxima com uma missão hercúlea e uma grandicíssima promessa.

A missão hercúlea é se manter na Série A. O Brescia tem um clube organizado, um estádio (municipal) bonitinho e uma torcida fiel, mas pe só. A família Corioni, que é dona do clube, não tem os recursos de um Abramovich. Assim, a lista de reforços é magérrima: o goleiro Sereni (que um dia foi considerado o sucessor de Peruzzi) e o armador greco-albanês Panagiotis.

Beppe Iachini é um técnico sem passagem de destaque pela Série A. Terá no Brescia seu segundo desafio na divisão máxima. A tônica deve ser a contenção, um esquema de jogo apto a times menores, com três interditores e só um armador, posição na qual se espera que Panagiotis possa vir a surpreender. Possanzini, o segundo atacante e externo de origem, deve ter a função de alargar-se para abrir o espaço nos contragolpes. É pouco? Em tese, muito pouco.

A grande esperança do Brescia é Matteo Tassi. um jovem de 17 anos que fez a pré-temporada com o time principal tal a fé que se tem nele. Atacante habilidoso, a comparação (cruel) é com Roberto Baggio, mas como se sabe, quem faz vereditos definitivos sobre atletas nessa idade é palpiteiro de bar. O desenvolvimento físico e psicológico nessa faixa de idade é intenso e tudo pode mudar. Para a sua idade, Tassi é um prodígio. É preciso ter fé. Fé essa que também será necessária para o Brescia fazer uma campanha que o salve da zona quente da tabela.

Brescia (3-5-2): Sereni; Martinez, Bega, Mareco; Zambelli, Vass, Budel, Baiocco (Panagiotis), Dallamano; Possanzini, Caracciolo.

Treinador: Beppe Iachini.
Ponto Forte: entrosamento.
Ponto Fraco: ataque e falta de um jogador que sirva como referência.
Promessa: Matteo Tassi (atacante)
Destaque: A. Caracciolo (atacante)

Prognóstico: não cair é uma ótima.

Clique aqui e veja a lista de transferências na Itália em 2010.

4 respostas para “Apresentação da temporada – Brescia”

  1. Deixemos o “Novo Baggio” de lado, mas as informações que eu tenho são de que de fato ele é promissor, sempre lembrando que aos 16 o jogador ainda tem um longo caminho de formação. Apostar que todos craques aos 16 vingarão é babaquice (embora tenha gente que o faça…)

  2. ouvi falar desse garoto, no qual o Brescia tem uma enorme expectativa quanto a seu futebol… em relação ao time, acho que manterá sua sina, vai bater e voltar pra Série B.

  3. Possanzini fez parte daquele Reggina de Baronio, Pirlo e Kallon, bons tempos! já dava pra perceber que Pirlo faria nome, mas o Baronio era medíocre ao cubo, o Eriksson o chamava de ‘pequeno Verón’ na Lazio. Daí dá pra concluir como o Eriksson é o pé frio de maior ‘fachada’ no futebol europeu…

  4. Posso estar enganado, mas o jogador definido como “novo Baggio” – que bobagem! – não é o irmão mais novo do Matteo, o Lorenzo Tassi? Pelo menos foi essa a informação que recebi. E parece que inacreditavelmente o Milan fez uma proposta oficial, recusada pelo Brescia, de € 5 milhões pelo moleque.

Os comentários estão desativados.