O óbvio

Tirando o chilique de José Mourinho ao final da partida, onde ele denunciava um complô contra uma líder de campeonato com nove pontos de vantagem, o sucesso interista sobre o Milan, não tem nenhum ponto a ser levantado. A Inter é muito melhor que o Milan, ainda que não jogue bonito e ainda que não tenha nenhum craque definitivo com exceção de um prodigioso Júlio César.

Confiando numa dupla de alas esforçada, no máximo, o Milan enfrentou a Inter sem Pato e Nesta. Na Inter, ausências do tipo teriam suplentes, mas na ‘sponda rossonera’ da cidade, os dois deram lugar a Beckham e Favalli. Por outro lado, para “compensar” a ausência de Eto’o por um mês de Copa da África, contratou Pandev – o melhor segundo atacante da Itália, rivalizando com Alexandre Pato.

O Ronaldinho do auge do Barcelona talvez tivesse compensado Pato e Nesta, mas o atual, apesar de infinitamente melhor do que há seis meses, ainda não tem bala na agulha para se livrar de Maicon e ainda causar encrenca. Ronaldinho tem o talento, mas ainda não tem a velocidade nem o tempo de bola necessários a um ponta.

4 respostas para “O óbvio”

  1. finalmente alguem apareceu para baixar a bola do ronaldinho!
    obrigado cassiano por nao entrar na onda do resto da midia.

  2. é impressionante como o Ronaldinho não sabe bater o penalti, o Amelia já tinha cantado essa letra… ele e Edmundo não nasceram pra cobrar penaltis.

  3. é impressionante como o Ronaldinho não sabe bater o penalti, o Amelia já tinha cantado essa letra… ele e Edmundo não nasceram pra cobrar penaltis.

  4. Concordo com quase tudo – vamos deixar meu juízo de valor acerca do Pandev de lado desta vez.

    O maior problema do Milan atual é a baixa qualidade da “classe média”. No meio do ano vários jogadores interessantes, que podem melhorar demais a qualidade do banco de reservas, estarão sem contrato. Joe Cole, T. Barnetta, Kallström, Godín, Jadson, Fernandinho etc. são alguns deles.

    A fórmula parece simples: investir dinheiro em duas ou três contratações e ir atrás desse pessoal. O que não pode é o elenco contar novamente com apenas um jogador de velocidade no ataque.

    No dérbi, depois da expulsão do Sneijder a ausência do Pato foi inacreditavelmente sentida, pois apenas o Ronaldinho tentava driblar e, assim, criar algum espaço na defesa da Inter.

    Se antes já julgava o trabalho do Leonardo digno de elogios, agora o reputo como inacreditável. O cara consegue fazer um time jogar substituindo Pato por Beckham. Um dia essa brincadeira acabaria.

Os comentários estão desativados.