Leonardo dá sinais

Ok, o Milan ainda está longe de ser candidato sério ao título na Itália e menos ainda de ser o titã que sua história testemunha. Mas as últimas quatro partidas do time (Roma, Real Madrid, Chievo e Napoli) precisam ser levadas em consideração ao se dar algum mérito ao neotécnico Leonardo.

Eu confesso que depois do empate suado com a Atalanta, achei que Leonardo cairia. Suas demonstração de conhecimento tático não existiam, o time não corria e mesmo tecnicamente parecia combalido. A pausa de 15 dias das partidas de seleções fizeram com que o time reencontrasse ao menos disposição e inteligência para fazer o mínimo.

Leonardo tinha proposto ao Milan um 4-3-3, que era impraticável por várias razões. Primeiro, o miolo central exige jogadores com o físico no ápice, mas Gattuso, Ambrosini e Seedorf mal paravam em pé. Segundo, exige dois atacantes externos que tenham grande movimentação para puxar o meio-campo e inserir o oposto na manobra ofensiva – com Pato mal e Ronaldinho em condição indizível, era inviável; terceiro, porque exige um centroavante forte fisicamente que prenda os zagueiros. Quarto, que exige dois laterais com fôlego para apoiar o tempo todo – ou então os atacantes são facilmente “marcáveis” – mas Jankulovski e Zambrotta pareciam ex-atletas. Quinto, o esquema precisa de uma dupla de zaga fortíssima. Kaladze e Favalli eram suicídios em potencial.

Técnico do Milan Leonardo
Segurando um rojão sem tamanho...Leonardo

Mesmo longe do ideal, Leonardo recuperou fisicamente todo o elenco pelo menos para o esquema poder funcionar. Alexandre Pato parece ter despertado e Ronaldinho eventualmente tem despertado de seu coma futebolístico. O descartado Oddo não está jogando tão mal e a dupla Thiago Silva-Nesta é, bem fisicamente, parelha com qualquer uma do mundo – na verdade, o único setor realmente à altura das expectativas. O problema é a fragilidade física de Nesta.

Sob uma chuva de pedras, Leonardo não desistiu e aparentemente conseguiu encontrar soluções em sua difícil situação. Esse time não deve ser campeão de nada, salvo uma evolução digna de entrar para a história. Mesmo assim, caso mantenha a recuperação gradual que vem mostrando, o time terá grande parcela de mérito dele. Para vôos maiores, a única chance passa mesmo por novas contratações.

7 respostas para “Leonardo dá sinais”

  1. “O grupo econômico do Berlusconi está em dificuldades e ele está procurando um comprador, mas mantém que não vende para valorizar o clube (avaliado em cerca de €800 milhões.”

    Calma! A coisa não é bem assim. A dificuldade que eles estão enfrentando é exatamente a mesma de muitas outras empresas nos mais diversos setores industriais. No último balanço publicado, no ano passado, a Mediaset, que é a maior empresa do grupo comandado por Silvio Berlusconi, apresentou lucro de cerca de meio bilhão de euros – os números estão no site deles (http://www.mediaset.it/corporate/chisiamo/cartaidentita_it.shtml).

    E esse resultado é mais ou menos o mesmo exibido nos cinco exercícios anteriores. Não parece um número ruim. E o setor de entretenimento é o que conta com a maior expectativa de crescimento atualmente. Bem, isso é o que dizem os bancões de investimento. Se estão certos ou não só o tempo irá dizer.

  2. So far so good. Leonardo pegou a equipe no que deve ser o pior momento da gestão Berlusconi e vem tendo uma boa performence no comando técnico. É ainda um pouco cedo para um julgamento preciso, mas ele vem mostrando que possui o dom mais precioso de qualquer treinador, na minha modesta opinião: a capacidade de separar o bom jogador do verdadeiramente talentoso/útil ao esquema tático que quer implantar. Cissokho foi apenas a enésima prova.

    E compartilho da tua visão de que o Milan irá trocar de mãos no futuro – não tão breve assim, creio -, e o plano do Berlusconi, enquanto ainda estiver no comando, parece ser mesmo o de investir em jovens com potencial para revitalizar o clube e o feeling dele, ao incumbir o Leonardo dessa missão, parece que mais uma vez está certo.

    E concordo também que neste ano a equipe não deve vencer rigorosamente nada. Talvez o scudeto no próximo, quando o grupo deve sofrer mais algumas mudanças, pois será bem difícil que a CL, que sempre será o verdadeiro alvo do clube enquanto Berlusconi estiver no comando, seja conquistada antes da Itália.

    PS: Embora não goste da expressão, é preciso dizer que o Leonardo deu um verdadeiro nó tático em um comentarista da televisão brazuca na partida contra o Real. Tive que pedir para uma amiga gravar emergencialmente a partida e ela gravou no canal errado… É o que resulta um planejamento inadequado.

    PS 2: Diz um amigo de Goiás que o interesse do Milan no R. Toloi, e também do jogador no clube da Lombardia, é forte. Parece já existir inclusive uma proposta oficial pelos direitos do atleta. Vamos esperar os desdobramentos disso.

  3. Caro, os jogadores se deram conta que se deixarem o Leonardo sozinho vão se ferrar junto – especialmente os brasileiros. O Zambrotta é um bom lateral, mas não para fazer a função que o Leonardo quer – o ideal seria exatamente o Cissokho. abs

  4. Boni, o Huntelaar está sendo sacrificado e ainda não se adaptou mesmo. Sem alguém para municiar, ele contribui com pouco. O problema do Milan hoje é no gol e nas laterais. Um bom goleiro e dois laterais com fôlego punham o time entre os três do Italiano. abs

  5. Caros, o Milan certamente terá de passar por uma reestruturação. O grupo econômico do Berlusconi está em dificuldades e ele está procurando um comprador, mas mantém que não vende para valorizar o clube (avaliado em cerca de €800 milhões. Enquanto isso, o clube tem de voltar a ser um clube de futebol e buscar só reforcos jovens como o Pato e o Adiyah (que está praticamente acertado). Na transação do Beckham, provavelmente o clube vai gastar pouco e ganhar muito – porque o inglês vende horrores. Reforços de peso acho que só com outro dono.

  6. Além de novas contratações, o Milan não está acertando nas contratações para rejuvenescer a equipe. Senderos e Flamini ainda são vistos com desconfiança. Onyewu se machucou logo, deu azar. Huntelaar até agora é um fantasma – e se permanecer assim irá para um clube mediano da Inglaterra. Com os senadores em final de carreira, mas ainda intocáveis para Galliani, e sem jovens capazes de resolver, fica dificil. Deve demorar mais alguns anos até o Milan voltar a ganhar um scudetto.

  7. Carissimo, além de Beckham, Galliani cogita torrar mais alguns milhões?
    Acredito que alguma diferença tenha ocorrido na alteração dos externos defensivos Zambrotta/Jankulovski para Oddo/Zambrotta. O problema de Zambrotta é que na esquerda ele não avança, mas também não marca direito como no lance contra o Real Madrid em que Benzema jogou nas costas dele e ele cometeu um penalti não marcado. Ainda assim, antes dele do que o Jankulovski por ali.
    E sobre o que perguntei anteriormente ‘fora de assunto’ pode ter ocorrido do grupo juntar-se em torno de Leonardo mais ou menos como a Itália da Euro 2008 o fez ao redor do inexperiente Donadoni?
    Abs!

Os comentários estão desativados.