Eu sei, eu sei. Faz tempo que não escrevo. Infelizmente, meu trabalho tem me deixado pouco tempo para versar sobre futebol e, na verdade, o futebol também tem feito pouco para merecer que eu perdesse meu tempo. Há, contudo, eventos que superam a normalidade pelo bizarro, como o jogo da Seleção Brasileira. Para todo mundo, o resultado e o jogo foram só bizarros e frustrantes. Menos para Ganso e Neymar. Os dois jogadores mais talentosos de sua geração estão sendo identificados como os símbolos da “Era Mano”, especialmente pelo alinhamento também extracampo com a gestão criminosa da CBF. Esportivamente, eles não tem culpa, mas a falta de atitude de ambos pode criar traumas em suas carreiras.

Ler mais