Uma série de vitórias sempre leva a uma decadência. O tricampeonato sãopaulino conquistado em 2008 elevou a arrogância da diretoria do clube a uma altitude não calculada por matemáticos, fez uma vasta lista de inimigos e deu espaço às figuras mais medíocres dentro da política do clube. Desde então, Juvenal Juvêncio fez o que pôde para se manter no poder, e agora certamente vai desfrutar de sua obra. O caminho golpista que a aristocracia morumbiana escolheu levou a diretoria a ser refém de um vórtice de incompetência e privilégios que corroem a competitividade do clube. Agora é a hora de diretoria e torcida pagarem por isso – e não importa quem tenha mais ou menos culpa.

Ler mais