Pouco, realmente muito pouco a dizer sobre a “Black Wednesday” da Libertadores. Para mim, o único choque foi de ver todas as quedas ocorrerem na mesma noite. Os times brasileiros, por uma série de circunstâncias (entre elas, as falsas certezas adquiridas nos patéticos estaduais e numa primeira fase da Libertadores de nível segunda divisão de Lesoto), acham-se incrivelmente superiores a quaisquer outros. Basta dizer que não falta gente que acha que o Corinthians lutaria pelo título na Itália ou que o Internacional é muito melhor que o Barcelona. Times medianos com ilusão de grandeza só precisam de uma noite ruim para cair. E assim foi.

Ler mais