Nos últimos meses, as candidaturas brasileiras para a Copa e a Olimpíada geraram em certa parte do Brasil uma espécie de ufanismo patriótico. A conquista do direito de sediar os eventos foi vista como uma prova de amadurecimento do país, suas instituições e sua gente. Consequentemente, a crítica aos mesmos foi taxada de impatriótica, coisa dos ranzinzas que são contra tudo e contra todos.

Ler mais