Pep Guardiola anuncia que deixa o Barcelona e o futebol (momentaneamente). Entre lamentos do mundo e festejos aliviados de uma Madri que não suportava mais ser humilhada (não obstante a vitória no clasico), o técnico diz que cedeu ao estresse, à pressão exigida por um time que a exemplo do Ajax de Rinus Michels e do Milan de Arrigo Sacchi, reinventou o esporte ao mostrar como se trata muito mais de uma questão mental, incutida no jogador desde as divisões de base do que gastos astronômicos ou taticismos. Gianni Mura, colunista do diário italiano La Repubblica, aconselha Pep: “Por favor, Pep, não venha para a Itália. Aqui, você corre o risco de se arruinar”. No clássico kitsch da RAI, o La Giostra Dei Gol, um treinador desempregado convidado como comentarista, concorda. “O esquema do Barcelona não é viável. Trata-se de um ciclo encerrado”.

Ler mais