Copa Itália

A semana passada teve uma rodada da Copa Itália que não foi lá muito empolgante não. Pior para o Milan, que foi à Roma e tomou 3 x1 da Lazio, necessitando agora de uma vitória por 2 x 0 no jogo de volta. Bierhoff abriu o placar, mas a maior categoria do time romano, bem como o maior entrosamento com o esquema de Sven Goran Eriksson determinaram o resultado final. Outro resultado que chamou a atenção foi a magra vitória da Internazionale sobre o modesto Castel di Sangro, da terceira divisão, em Milão. Ronaldinho, ainda baleado pela Copa, ficou de fora, e viu seu time sair sob vaias e ovos do Estádio San Siro.  Além da Inter, outro grande passou maus bocados para vencer um time pequeno. A Fiorentina de Edmundo e Batistuta conseguiu só um golzinho contra o Lecce, da série B. A Fiorentina e a Inter devem ir adiante, mas que ficaram devendo, não tenham dúvidas . Entre os outros resultados, observamos que vários times também não foram brilhantes, frente os times de divisões inferiores (Juventus 1 x 1 Venezia; Udinese 0 x 0 Vicenza; Atalanta 1 x 1 Roma; Bari 1 x 2 Parma; Sampdoria 0 x 0 Bologna, esse uma reprise das eliminatórias da Copa Intertoto – campeonato que dá uma vaga na Copa UEFA)

A Rodada do fim de semana

Parma 2 X 0 Fiorentina

O jogo mais esperado da rodada. O líder contra um dos times que mais se reforçou na pré – temporada. O Parma não tem atacantes lá muito brilhantes, à exceção do imprevisível Asprilla, que não está jogando. Chiesa e Crespo, a dupla de ataque é ‘operária’, estando longe de uma dupla como Del Piero e Inzaghi, por exemplo. Mas a grande força parmense está no seu meio – campo, fortíssimo, que marca muito bem e sai com bom toque para o ataque. Benarrivo, Fuser, Boghossian, Fiore e Verón praticamente impediram as chances do ataque fiorentino (que só chutou 4 vezes durante todo o jogo). Do lado da Fiorentina, o treinador Trappatoni abriu mão dos três atacantes com que iniciou bem o campeonato, pois Oliveira estava indisponível. E o Parma agradeceu. Venceu fácil, com dois gols de Crespo, um deles um golaço. Na próxima rodada é bem provável que Trap volte com Oliveira, ao lado de Edmundo e Batigol. Se não, vai começar a cair na tabela.

Venezia 0 x 2 Bologna

O modesto time bolonhês está restabelecendo a ordem das coisas, agora que se livrou de todos os desfalques que atormentavam o treinador Mazzone. Com as voltas de Paramatti, Ingesson, Andersson e a vinda de Maini (emprestado pelo Milan), o Bologna retorna à sua condição de time que luta por uma vaga na Copa UEFA, e não dos arriscados de rebaixamento. Detalhe negativo: Signori ainda não jogou bem, e continua uma incógnita. O Venezia segue forte como candidato à série B, junto com a Salernitana. Ah, claro: outro gol do jovem brasileiro Eriberto, ex – Palmeiras.

Roma 4  x 0 Udinese

Até um certo ponto, um resultado surpreendente, mesmo com a Roma jogando em casa. A Udinese de Amoroso é um time regular, mesmo jogando fora de seus domínios. Some-se a isto a lembrança de que a Roma estava sem Cafú, homem chave do 4 – 3 – 3 do técnico Zeman, e mais o seguro arqueiro Konsel. A solução foi colocar mais um zagueiro (Petruzzi), e partir para um 3 – 4 – 3 . Deu Certo. A Roma mandou no jogo, com Amoroso sempre escoltado por um romano. O time de Udine segurou as pontas até levar o primeiro gol. Depois disso, teve de ir para frente e deixou as portas e janelas escancaradas. Excelente partida do camaronês Wome, adquirido este ano junto ao Lucchese. E ótimos desempenhos de Aldair e Totti também. A Roma me surpreende.

Empoli 2  X 0 Perugia

O time da toscana teve dias difíceis na semana que passou.Foi envolvido em uma denúncia de tentativa de compra de um árbitro, e ficou sob suspeita, principalmente porque em 1985 já teve problema semalhante. Passado o problema, uma missão ingrata: receber o Perugia, um time que tem se apresentado bem. Sorte do time empolese que o japonês Nakata não pode jogar, e tornou mais fácil a tarefa do time da casa. Dia de Arturo Di Napoli, autor dos dois gols. Na hora da UTI, no fim do campeonato, os pontos desta semana vão fazer diferença a favor do Empoli.

Internazionale 2 X  3 Bari

Tenho de confessar que sempre que a RAI decide transmitir um jogo da Internazionale, me bate um sono. Digo isto porque a filosofia do treinador Simone não me agrada, já que ele costuma ver no contra – ataque o seu mote, fato que torna monótonas as apresentações do time de Ronaldinho. Qual não foi a minha surpresa quando vejo o time interista armado bem a italiana, com um líbero, e não com os cinco zagueiros que Simone costuma usar. É verdade que não se pode chamar de “ofensivo” um meio – campo com Zanetti, Winter e Paulo Sousa (e mais Pirlo, este sim um meia ofensivo). Mas só o fato de Simeone, um subDunga botineiro que algum infeliz cismou de chamar de “meia”.

No jogo, um primeiro tempo disputadíssimo, com o Bari fazendo o seu papel de time fechado, jogando (perigosamente) no contragolpe, muito bem armado por Eugenio Fascetti. Esse sutil domínio da Inter foi até a boba expulsão de Paulo Sousa, por reclamação. No segundo tempo, Zambrotta logo a 1’ pôs o Bari na frente, e a Inter só correu atrás. Quando faltavam cerca de 20’ para acabar o jogo, Ronaldinho entrou no time. Duas ou três jogadas deram a impressão de que não haveria Ronaldinho (mais uma vez). Mas em três jogadas, Ronaldo cavou um pênalti (por ele convertido) e deu um com açucar para Collonese fazer. Pena que a defesa nerazzurra tenha posto tudo a perder, e tenha dado à Inter sua terceira derrota consecutiva. Só que Ronaldo dá sinais de estar se recuperando.

Piacenza 1 X 1 Milan

Salvo pelo gongo. A expressão se encaixa bem na situação do Milan, contra o Piacenza. Os donos da casa  estiveram vencendo por quase todo o jogo, e só sofreram o empate aos 47’ do segundo tempo, através de Ganz (Weah e Bierhoff estiveram absolutamente apáticos). O gol do Piacenza foi de Simone Inzaghi, irmão do atacante da Juve, e ao que parece, tem algo do talento do irmão. Mesmo que pareça um mau resultado para o Milan, as circunstâncias, a campanha do Piacenza em casa, e os resultados de seus adversários fizeram deste 1 x 1 um ótimo negócio.

Juventus 2 X 0 Sampdoria

Dia de Filippo Inzaghi no Delle Alpi. Há um mês sem marcar, o atacante marcou dois e decidiu o jogo para uma desfalcada Juventus, sem Tudor, Mirkovic, Zidane e Davids.Não se pode dizer que tenha sido um jogaço, mas fica claro como o time de Torino tem controle sobre seus nervos. Mesmo sem meio time, Marcello Lippi deixa o time com as mesmas características. E essa regularidade é que deu o título do ano passado à Juve. Na Samp, nada a se destacar, a não ser a entrada do brasileiro Catê (aquele do São Paulo), inócua.

Salernitana 1 X 0 Lazio

Primeira vitória do time de Salerno, que ainda é o candidato favorito ao rebaixamento (este ano cairão dois para a série B). Até certo ponto surppreendente a derrota do time de megastars da Lazio, autor de uma vitória importante sobre o Milan no meio de semana, pela Copa Itália. A Lazio ainda se ressente da contusão de Vieri, contratado para ser o homem gol do time. O treinador romano ainda tentou colocar Boksic (voltando de contusão), mas foi pouco, e o castigo veio aos 44’ do segundo tempo, com o gol de Di Vaio, para o time da casa. Uma observação: mesmo estando mal na tabela, a Salernitana tem um time muito correto. Prova da força da Série A.

Vicenza 2 X 1 Cagliari 

Um “clássico” entre os times médios da Itália. Os dois times não almejam o título, mas sempre podem sonhar com uma vaguinha na Copa UEFA, caso algum grande marque bobeira. Nesse tipo de jogo não se pode vacilar, e o Vicenza atendeu à esta exigência. Um jogo muito aguerrido, contra um adversário que faz uma campanha ótima, sendo dificílimo de bater em casa. Como o jogo era em Vicenza, o Cagliari não suportou a pressão, e sucumbiu aos dois gols do uruguaio Otero.