Dois dias depois do assassinato do menino boliviano em Ururo, as redes e a cidade de São Paulo ainda debatem a correção ou não da punição ao Corinthians. A verdade é que o Corinthians não tem que ser punido. Quem precisa ser punido é o Brasil e sua sociedade, assim como a Inglaterra o foi após Heysel. A discussão obscena que varia de lado conforme o clube do opinionista precisa acabar. É hora do país amadurecer também nas suas responsabilidades. Se a Conmebol tivesse um átomo de decência, baniria clubes brasileiros das competições sulamericanas por um período. E aí, talvez, o país parasse para pensar como país e não com um fanatismo torcedor que nos corrói do futebol à política.

Ler mais