Clubes têm místicas. Normalmente ligadas a um sentimento. Os gaúchos são comumente ligados à fibra de times passados e da resistência para não entregar os pontos. O Corinthians, pela ajuda mítica de sua torcida – assim como o Flamengo. O Santos sempre se remete à história de Pelé. Hoje em dia, contudo, esta mística é tudo o que resta para alguns clubes ignorarem as gestões sofríveis que têm. Ou como chamava Nelson Rodrigues, Sobrenatural de Almeida.

Ler mais