Em mais de uma oportunidade, já demonstrei entusiasmo com a nova Juventus. Não estou me ufanando. Não acho que a Juve dará show nesta temporada. Não vejo nela um novo Barcelona nem mesmo uma Juve dos bons dias. Mas vejo um time de futebol, de verdade, que não espera milagres, que não sai dos próprios sapatos e que não se maravilha consigo mesma. E além disso, uma plataforma de lançamento da qual podem se reinventar vários jogadores obscurecidos. Entre eles, Amauri.

Ler mais