PSG: qual a hora certa para se tornar campeão da Champions League?

“Never lost sight of my fate
Many tried to block my ways but persistence kept me going on
Now we trespass the line of time
Going back but I´m right here, now and then, all done”
(Sepultura – “Kairós”)

Nesta terça-feira 18 de fevereiro o PSG entrará em campo para disputar mais uma fase de oitavas de final de Champions League. A equipe parisiense visitará o alemão Borussia Dortmund, que além de já ter vencido a UCL, deu projeção ao hoje técnico da própria equipe de Paris, Thomas Tuchel.

O domínio do PSG em território francês prossegue, sendo que neste momento a agremiação ostenta 10 pontos de diferença para o vice-líder da Ligue 1, Olympique Marselha. No entanto, o intento de vencer uma Champions League desejado pelo atual dono do clube, xeique Nasser Al-Khelaifi, mostra-se mais distante a três temporadas.

Após elencar sequência de três quartas de final de UCL nas temporadas 12/13, 13/14 e 14/15, o PSG não consegue avançar das oitavas de final a três temporadas consecutivas. É bem verdade que as três últimas temporadas trouxeram contextos diferenciados. Na edição 16/17 a equipe foi vítima da remontada contra o Barcelona (fatídico 6×1 após vitória maiúscula por 4×0 em Paris), que ainda tinha Neymar.

Nas duas últimas edições da UCL (17/18 e 18/19), eliminações para Real Madrid e Manchester United com Neymar lesionado, ou em meio, ou na véspera da disputa da fase de mata-mata.

Neymar pronto para decidir mata-mata de UCL pela primeira vez desde que foi contratado?

Neymar desfalcou o PSG pelas últimas três rodadas da Ligue 1 dada indesejável lesão na costela. No entanto não se trata de nenhuma fratura grave como se viu nas últimas duas temporadas. Para compromisso do último fim de semana pela Ligue 1 (empate em 4×4 contra Amiens), Thomas Tuchel não relacionou tanto Neymar quanto Kylian M’bappé, este de fato poupado em nome de preservação física.

O jornal francês L’Équipe dava como certas já no domingo, titularidades de Neymar e do zagueiro Presnel Kimpembe. A dúvida de Tuchel estaria na utilização de Pablo Sarabia ou Mauro Icardi no alinhamento inicial. A tendência é de uma postura menos ofensiva dentro dos domínios do Signal Iduna Park (Dortmund/Alemanha).

Sarabia é opção de maior transição com bola no pé. Icardi determina opção por jogo físico por parte do ataque parisiense, o que demandaria mais bolas longas na área adversária. Contratação low profile de verão, o espanhol Sarabia elenca 31 jogos disputados, 12 gols e 7 assistências na temporada 19/20. Era o respiro que Angel Di María necessitava, clamando por revezamento, dada sua fragilidade física.

Vindo da italiana Internazionale também durante o verão para ser titular no comando de ataque, Icardi apresenta 19 gols em 28 jogos. Sua adaptação rápida ao futebol francês, de alguma forma surpreende. Tanto Sarabia quanto Icardi foram solicitações pontuais e realistas do técnico Thomas Tuchel, que parece deter definitiva influencia sobre os devaneios de mercado do xeique Nasser.

De qualquer forma as decisões da comissão técnica do PSG durante os meses de dezembro/janeiro, sem partidas de UCL, pareceram cautelosos e precavidos contra quaisquer imprevistos. Layvin Kurzawa e Edinson Cavani estiveram próximos de deixar o clube, devido a contrato a expirar no fim deste semestre.

O PSG vetou ida de Kurzawa para Juventus e liberação de Cavani ao Atlético Madrid, que por sua vez teria oferecido cerca de 20 milhões euros pelo atleta de 33 anos. Temor por necessidade de peças de reposição para problemas que ainda nem aconteceram, determinaram as ações do clube durante a janela de inverno. Não deixa de ser um sinal de maturidade.

Por fim, o fator crucial passa pela cabeça de Neymar. Tal qual os jovens Messi e Cristiano Ronaldo durante a década passada, Neymar sofreu com irreal construção narrativa de sua capacidade técnica, desde tenra idade aqui no Brasil, sobretudo por parte da mídia/imprensa. Seus 28 anos completos somados a recentes problemas extra-campo, podem ter rendido ganhos psicológicos. Esta é a hora de cobrá-lo.

O PSG é sim franco favorito diante do Borussia Dortmund, que joga para se manter no top 3 da Bundesliga alemã (neste momento é o exato 3º colocado). Marco Reus lesionou-se a algumas semanas e a sensação norueguesa Erling Haaland tem apenas 19 anos.

Como tinham para si os gregos, “kairós” não significava apenas temporalidade cronológica, mas sim o momento certo de agir ou tomar uma decisão…

A Esporte Interativo exibe os jogos das oitavas de final via streaming, Facebook e canais fechados TNT e Space, no Brasil terça e quarta-feira a partir das 17 horas.

Imagem de Neymar e Icardi: divulgação/PSG

Sortie de but

– Na última edição da Champions League, o PSG foi eliminado pelo Manchester United com 3×1 imposto pelos red devils dentro do Parc des Princes. Placar de 2×1 (2×0 ida) garantiria classificação parisiense mas um pênalti no fim da 2ª etapa, pôs tudo a perder.

– O lance contou com verificação do VAR, utilizado pela primeira vez na UCL, durante o mata-mata da edição 18/19. A orientação na época era assinalar pênalti em caso de bolas que resvalassem mãos ou braços dos atletas. A bola que originou a infração surgiu de tiro de livre indireto e resvalou a mão de Kimpembe.

– O então lesionado Neymar se manifestou publicamente via redes sociais contra a decisão do árbitro naquela ocasião. O questionamento do brasileiro rendeu-lhe suspensão, já cumprida nas primeiras rodadas da fase de grupos da presente edição 19/20 da UCL.

– A orientação para arbitragem nesta temporada 19/20 é de verificar origem do lance, caso o mesmo seja contestado e analisado pelo VAR.