Nos últimos dias a imprensa italiana repercutiu quais seriam as opções de treinadores para o Milan, visando a temporada 2019/2020. Segundo o Gazzetta Dello Sport o plano A do clube rossonero é o treinador português Leonardo Jardim, atual comandante do Monaco.

Embora tenha salvado o Monaco do rebaixamento na edição da Ligue 1 ainda em curso, é improvável que o clube monagesco obtenha índice de disputa para competições europeias 19/20. No momento o Monaco é o 16º colocado da liga nacional francesa, ao passo que o quarto lugar dá vaga a Europa League.

A ausência do Monaco em Champions League/Europa League seria um atrativo em potencial para Jardim, caso o Milan consiga manter o índice de classificação para a UCL 19/20, o que implica na obtenção de um dos quatro primeiros postos da Série A italiana.

O Milan neste momento é 5º colocado (rodada de fim de semana tem complemento nesta segunda-feira 29/04 – o Milan pode acabar em 6º) demonstrando problemas e alguma certeza de que o técnico Gennaro Gattuso não seguirá.

Em termos domésticos na França o Monaco teria boa temporada 19/20 pela frente sob comando de Jardim podendo disputar títulos, pois estaria concentrado apenas nos torneios nacionais (Ligue 1, Coupe de France, Copa da Liga). Seu plantel também se tornou mais robusto após as aquisições da última janela de inverno.

Caberia a torcida monagesca ficar de olho na Série A e “secar” o Milan, de forma que a equipe não se classifique para UCL. Jardim tem seu currículo na mesa da diretoria do Milan que por sua vez, também analisa os italianos Maurizio Sarri (Chelsea), Eusébio Di Francesco (ex-Roma, desempregado) e Marco Giampaolo (Sampdoria).

Segundo a Gazzetta Dello Sport Jardim e Sarri (que tem mercado na valorizada Premier League inglesa) são opções em caso de confirmação de disputa da UCL. Os outros dois seriam para disputa de Europa League.

Jardim na Itália: um sopro de modernidade

Caso o Milan realmente contrate Leonardo Jardim, a Série A italiana teria a ganhar. Jardim se notabilizou por propôr jogo franco e ofensivo, tal qual aquele que fez o Monaco obter o título francês 16/17, quebrando a hegemonia do PSG e anotando cerca de 152 gols naquela temporada (107 só na Ligue 1).

Trata-se de um técnico com ideal futebolístico atual, em alguns aspectos até incomum se comparado a outros portugueses, geralmente defensivistas. Nos últimos anos o Monaco de Jardim se caracterizou por atuar em 4-2-3-1 ou em 3-4-3. O 4-2-3-1 deu certo com a geração 16/17 que projetou atletas como Mendy, Bakayoko (atualmente no Milan), Bernardo Silva e M’bappé.

Além do título da Ligue 1 16/17 aquele Monaco de Jardim realizou grande participação no mata-mata da UCL 16/17, eliminando o Manchester City de Guardiola até chegar às semifinais, quando acabou eliminado pela vice-campeã na ocasião, a Juventus.

Em hipotético vínculo firmado entre Milan e Jardim, um mercado visando seus ex-comandados seria oportuno, sobretudo procurando por jogadores menos badalados ou que se desvalorizaram. Gérmain (ataque, Olympique Marselha) seria boa opção, bem como o campeão mundial Lemar (meia), que não se adaptou ao espanhol Atlético Madrid. Adquirir Bakayoko em definitivo junto ao Chelsea, não seria algo dificultoso.

A rodada 34 da Ligue 1 não se encerrou neste último fim de semana, em virtude da decisão da Coupe de France vencida pelo Rennes no sábado. O Monaco entra em campo pela rodada 34 nesta quarta-feira, visitando exatamente o Rennes.

Imagem de Leonardo Jardim: AFP

Sortie de but

– Com o PSG tendo confirmado título da Ligue 1 18/19 há mais de uma semana e com cinco rodadas de antecedência, as atenções ficam voltadas para as vagas para os torneios europeus. No momento o vice-líder Lille (68 pontos) está com a segunda vaga direta para a Champions League.

– 3º, 4º e 5º postos da Ligue 1 tem respectivamente Lyon (62), St. Étienne (59) e Olympique Marselha (54). O terceiro lugar da direito a disputa de playoff pré-UCL. O quarto posto dá vaga a fase de grupos da Europa League.

– Tal qual a associação entre Leonardo Jardim e Milan, trocas de treinadores e rumores de transferências já são repercutidos na imprensa francesa. Há quem jure que José Mourinho (ex-Manchester United, desempregado) já teria se reunido com a cúpula de Nasser Al-Khelaifi para estar a frente do PSG finalista vencido da citada Coupe de France. Em Lyon há algumas semanas já se fala em Laurent Blanc (ex-PSG) para o lugar de Bruno Génésio.

– Ademais o L’Équipe repercutiu as possibilidades de atletas do Manchester United chegarem respectivamente a PSG e Lyon. O volante espanhol Ander Herrera seria alvo do clube parisiense, ao passo que o zagueiro marfinense Eric Baily poderia ser reforço dos lioneses.

– Na Inglaterra a Four Four Two dá como inevitável uma corrida entre clubes da Premier League pelo atacante Nicolás Pépé, destaque do Lille. Os pretendentes mais eufóricos seriam Liverpool e Chelsea.