Na presente edição da Ligue 1 foram necessárias 23 rodadas para o Monaco conseguir uma vitória dentro do Louis II (Principado de Mônaco). No último sábado a equipe monagesca recebeu o Toulouse e venceu o adversário por 2×1. O resultado deixou a equipe ainda dentro da zona de rebaixamento, mas agora na 18ª colocação.

O contexto outrora desesperador agora é outro. O treinador Leonardo Jardim fez sua reestreia na Ligue 1, sendo que seu retorno à beira do gramado se dera no último meio de semana, com o Monaco sendo eliminado nos pênaltis pelo Guingamp (2×2 no tempo normal), em confronto válido pela Copa da Liga francesa.

Contra o Toulouse foi possível ver o Monaco repetindo boa parte do alinhamento inicial, em relação ao confronto pela Copa da Liga. Pela partida da rodada 23 em específico vale destacar o impeto inicial da equipe obtendo o 1×0 com Golovin, após contra-ataque protagonizado por Gelson Martins pelo lado direito, em 15 minutos.

Sofreu empate 5 minutos depois, mas não se desmanchou mentalmente. Vale ressaltar que o time terminou com 10 em campo nas últimas duas rodadas da Ligue 1, e manteve o 2×2 contra o Guingamp pela Copa da Liga, também com 10 em campo durante boa parte do confronto.

O grande reforço obtido na janela de transferências de inverno, Cesc Fàbregas concedeu o gol da vitória contra o Toulouse, no minuto 62. O espanhol chutou bola que sobrou após grande jogada de Gelson Martins pela ponta esquerda.

O que mudou?

Comandante do título francês 16/17, Leonardo Jardim foi demitido no início de outubro do ano passado, com 12 rodadas da atual Ligue 1 disputadas. A equipe havia vencido apenas a partida de estréia. É bom que se diga que Jardim não tinha de onde tirar.

Com uma semana de trabalho em seu retorno, Jardim utilizou quatro atletas que acabaram de chegar, três em dois jogos consecutivos. Ao ser demitido o treinador lusitano não tinha Vainqueur, Fodé Ballo-Touré, Gélson Martins nem o citado Fàbregas. Os quatro citados chegaram na recém fechada janela de transferências de inverno.

Alinhamento inicial do Monaco - rodada 23 da Ligue 1 - formação 4-2-3-1 (clique para ampliar)

Alinhamento inicial do Monaco – rodada 23 da Ligue 1 – formação 4-2-3-1 (clique para ampliar)

No plano tático Jardim promoveu mais uma “invenção”, escalando o zagueiro brasileiro Jemerson por dois jogos consecutivos como volante. Jardim encerrou a Ligue 1 17/18 valendo-se do 3-4-3 e agora retorna ao 4-2-3-1, módulo tático com o qual obteve o título da Ligue 1 16/17. Na última temporada foi necessário recorrer ao uso de três defensores, com o veterano Andrea Raggi como terceiro zagueiro à esquerda.

Além de não ter lateral-esquerdo (Ballo-Touré acabou de chegar) Jardim não tinha volantes de força física. Agora tem Vainqueur e Adrién Silva (adquirido a pouco, fez estréia entrando no decorrer da partida contra o Toulouse) para o setor além de Jemerson.

Onde a diretoria monagesca errou?

No quesito mercado é impossível não assinalar amadorismo por parte da diretoria do Monaco. No início da presente temporada o clube tinha em vista mais de 100 milhões de euros, só da cláusula de compra de Kylian M’bappé, exercida pelo PSG. A venda de Thomas Lemar (Atlético Madrid) também já estava prevista.

Jardim poderia ter iniciado a temporada com peças de reposição em seu vestiário. A julgar pelo início da temporada 17/18 é preciso frisar que o Monaco não encerrou a temporada no vermelho, tendo negociado Bakayoko, Benjamin Mendy, Bernardo Silva e Gérmain, tão logo o título 16/17 veio.

Como citamos acima, Raggi foi reabilitado porque o clube não adquiriu lateral-esquerdo para a lacuna deixada por Mendy. O zagueiro italiano convive com problemas físicos no momento (11 aparições) além da idade avançada (34 anos). O goleiro Subasić e o luso-brasileiro Rony Lopes, destaque da temporada 17/18, conviveram com problemas físicos durante todo o 1º turno da atual temporada. O goleiro croata tem 5 partidas. Rony Lopes tem 13 aparições.

O planejamento “sovina” dos monagescos deixou a equipe na zona de rebaixamento até o presente momento da atual Ligue 1. A agremiação já está eliminada da Champions League, Coupe de France e Copa da Liga. Um bom desempenho na UCL poderia render ativos em premiações só com avanço ao mata-mata. Nas copas francesas poderia ser finalista.

Com certeza vivemos uma geopolítica futebolística financeiramente insana, com investimentos de chineses em valores absurdos e jogadores medianos cotados em 50 milhões de euros. Em contraparte, o Monaco não tem problemas de caixa desde o início da temporada 17/18.

Tamanho descuido de planejamento é inadmissível para um clube vice-campeão de Champions League e oito vezes campeão francês.

Imagem de Fàbregas no lance do gol: site oficial do Monaco

Confira os melhores momentos da partida

Sortie de but

– Nas últimas horas da janela de transferências no último dia 31 de janeiro, o Monaco acertou a troca com o inglês Leicester City, cedendo o belga Tielemans para ter o volante português Adrién Silva. Tielemans está emprestado até o fim da temporada e o Monaco espera receber 25 milhões de euros de algum interessado.

– No início da temporada 17/18 o Monaco comprou Tielemans junto ao belga Anderlecht. Em uma temporada o atleta não agradou Leonardo Jardim. O jogador se valorizou com a Bélgica durante a Copa 2018 e vem sendo titular de sua seleção devido a lesão de Kevin De Bruyne. Mais um erro de avaliação de mercado por parte da diretoria monagesca.

– Além da chegada de Adrién Silva no deadline da janela, o Monaco obteve o também português Gelson Martins emprestado pelo Atlético Madrid. Gelson participou da jogada dos dois gols contra o Toulouse. Chegaram também o meia francês Nkoudou (ex-Nantes, Olympique Marselha) emprestado pelo Tottenham e o pouco conhecido atacante brasileiro Carlos Vinícius (23 anos), emprestado pelo italiano Napoli.

– No topo da tabela ainda permanece o PSG, que viu sua primeira derrota nesta rodada 23 da Ligue 1. A equipe de Paris perdeu clássico para o Lyon, que venceu de virada por 2×1. No entanto o PSG ainda é líder (56 pontos) com 10 pontos a mais que o vice Lille (46 pontos) e 21 jogos de 23 rodadas disputadas. Nada ameaça o título parisiense.

– O Olympique Marselha voltou a perder duas partidas seguidas. Marselheses foram derrotados pelo Reims nos domínios do adversário por 2×1. OM é o décimo colocado com 31 pontos e já volta a campo nesta terça-feira. Marselheses enfrentarão o Bordeaux em confronto tradicional adiado na rodada 18.