No último domingo o Manchester United bateu o Everton por 2×1, pela rodada 10 da Premier League inglesa. O destaque da partida ocorrida em Old Trafford (Manchester/Inglaterra) foi a dupla francesa Paul Pogba e Anthony Martial.

Pogba anotou o primeiro gol além de dar assistência para Martial fazer o segundo. Martial por sua vez ainda sofreu o pênalti que originou o primeiro gol anotado pelo meio-campista francês.

Após derrota para italiana Juventus pela Champions League no meio da última semana, restava saber se o United do treinador José Mourinho, perderia o controle mental da situação, algo que não aconteceu. Excluído o revés pela UCL, o United se vê a três rodadas sem derrota na Premier League (2 vitórias, 1 empate).

Anthony Martial em específico vem sendo titular do United desde meados de setembro, contabilizando bons números somados compromissos de liga inglesa e UCL. São 11 partidas e 5 gols (4 pela Premier League). Com Martial em campo os red devils perderam apenas duas vezes. A citada derrota para Juve e o 3×1 imposto pelo West Ham, na rodada 7 da Premier League.

Eterna promessa?

Martial tem apenas 22 anos, tendo chegado ao United em 2015 com 19 anos. À época já era desmedidamente comparado a Thierry Henry, por ter atuado no Monaco, que o negociou por cerca de 60 milhões de euros. Vale lembrar que Martial foi revelado pelo Lyon, que o vendeu ao time do Principado em 2013.

O atacante participou do grupo da seleção francesa vice-campeão da EURO 2016. Após o torneio, e já com o United sob gestão de José Mourinho, Martial conviveu com problemas familiares. Suas convocações para a seleção francesa tornaram-se mais raras a ponto do atleta perder espaço para os agora campeões mundiais Fekir (Lyon) e Thauvin (Olympique Marselha), no ciclo para o Mundial 2018.

Martial (a esquerda) no lance do gol contra o Everton (Paul Ellis/AFP/Getty)

Martial (a esquerda) no lance do gol contra o Everton (Paul Ellis/AFP/Getty)

Fora a concorrência com os dois citados, um espaço para Martial na seleção também foi cessando dado o crescimento de Ousmane Dembélé (hoje Barcelona) e sobretudo, Kylian M’bappé (hoje PSG). Tendo ganho os holofotes na reta final da temporada 16/17, M’bappé então no Monaco, personificou o que se esperava de Martial.

Martial ainda não se provou um grande jogador num confronto relevante. A oportunidade contra a Juventus pela UCL, há quase uma semana foi uma chance. O único gol marcado pelo atacante francês na presente edição da UCL foi contra o frágil Young Boys da Suíça.

Por outro lado Martial mostra-se um atleta bem adaptado a Premier League. O computo geral de Martial desde que chegou ao Old Trafford não é ruim, ainda que decrescente. A temporada 15/16 mostrou 56 jogos, 18 gols, 11 assistências, 16/17: 42 jogos, 8 gols, 8 assistências e 17/18: 45 jogos, 11 gols, 9 assistências.

Na contramão, quem sofre é o chileno Alexis Sanchéz (8 jogos, 1 gol, 1 assistência). Contratado pelo United no começo de 2018, o atacante da seleção do Chile que atua pelos lados do campo, já tem seu nome relacionado ao PSG. No United Mourinho tem utilizado Martial pelo flanco esquerdo do ataque, o que obriga Marcus Rashford a atuar pelo flanco direito (10 jogos, 1 gol, 1 assistência).

Comparados os números da presente temporada 18/19 de Martial, Rashford e Alexis, o francês realmente faz por merecer seu espaço. Martial tem três partidas a mais que Alexis e uma a mais que Rashford. O francês anotou quatro gols a mais tanto em relação a Alexis quanto em relação a Rashford (1 gol cada).

De qualquer forma ecoa na Inglaterra rumor de que o United poderia exercer em janeiro, direito de recompra do holandês Memphis Depay, por sua vez negociado pelos red devils com o Lyon no começo de 2017. Depay atua prioritariamente pelo flanco esquerdo do ataque e demonstrou grande evolução desde que deixou o United. É o momento de Anthony Martial “acontecer”.

O Manchester United ocupa a oitava colocação da tabela da Premier League.

(Dados estatísticos: Transfermarkt.com)

Imagem de Pogba e Martial: Peter Powell/Reuters