Nesta terça-feira Manchester United e Juventus fizeram partida válida pelo grupo H da Champions League, em Old Trafford (Manchester/Inglaterra). O confronto equilibrado acabou em vitória bianconera pelo placar mínimo, algo que manteve a vecchia signora italiana no 1º lugar do grupo.

A situação no grupo H não mudou com a Juve ostentando 9 pontos na liderança, cinco pontos à frente do inglês United, ainda vice-líder. O terceiro colocado Valencia tem apenas 2 pontos. Lembrando que os dois primeiros de cada grupo avançam ao mata-mata.

A Juventus tem um conjunto equilibrado. Pelo outro lado a sombra do mau início de temporada aflige Old Trafford e o trabalho de José Mourinho como um todo. O United tem problemas mas não parece faltar empenho dos seus jogadores.

Manchester United

O técnico José Mourinho mandou alinhamento inicial com De Gea, Ashley Young, Smalling, Lindelöf e Luke Shaw. Matić, Pogba. Rashford, Mata e Martial. Lukaku. O desenho tático varia 4-2-3-1 e o 4-4-2 britânico convencional.

Mou parece seguir orientando sua equipe a entregar bola ao adversário, antevendo possibilidade de roubá-la e sair em contra-ataque. O time parece não ter problemas em “morrer abraçado” à ideia. Porém se não rouba a bola, pouco produz. Segundo as estatísticas do The Guardian, o United manteve 37% do total de bola rolando em 90 minutos (contra 63% do adversário).

O gol sofrido pelos red devils saiu em lance imponderável, após disputa de bola entre o zagueiro Smalling e o meia-atacante bianconero Juan Cuadrado, próximo à meta de De Gea. Smalling não desarmou e Cuadrado não finalizou. A bola sobrou para Paulo Dybala, adentrando livre pelo centro da área do United, fazer 1×0 no minuto 17.

A julgar pelo compromisso do United na rodada de fim de semana da Premier League (2×2 contra o Chelsea), Mourinho parece ter o time ideal em uso, valendo ressaltar que ele repetiu contra a Juve a escalação inicial usada contra os blues londrinos. Isso incluindo-se a confiança no francês Anthony Martial que fez 2 gols contra os blues, mas pouco produziu contra a Juve. A insistência em Martial que atua pela esquerda obrigou Rashford a atuar pelo lado direito.

Pogba (Foto: Michael Regan/Getty)

Pogba (Foto: Michael Regan/Getty)

O United tem um time físico (jogadores pesados: Pogba, Matić, Lukaku) que abusa da bola longa, somados a alas cuja maior virtude é a velocidade (Young/Shaw). Segundo as estatísticas da UEFA, Pogba e Matić foram os maiores passadores de bola da partida (65 passes tentados pelo francês e 61 passes tentados pelo sérvio).

No entanto faltam atletas leves de meio-campo que possam centralizar o jogo (o brasileiro Fred não saiu do banco) em alternância aos alas de vigor físico. Ainda que corpulento, o belga Lukaku se movimenta de forma acima da média na área adversária. Porém atrás de si Juan Mata, que já não vive seus melhores dias, não é Hazard (nem De Bruyne).

Juventus

A Juventus de Massimiliano Allegri foi a campo com Szczesny, Cancelo, Bonucci, Chielini e Alex Sandro. Matuidi, Bentancur, Pjanic. Cuadrado, Dybala e Cristiano Ronaldo. O conjunto bianconero é extremamente sólido e do seu meio-campo para frente, são possíveis diferentes variações.

Pjanic pode flutuar mais próximo aos metros finais do campo como meia ofensivo. Cuadrado coloca-se quase sempre aberto pela direita ao passo que Dybala/Cristiano Ronaldo se alternam dentro da área. A movimentação sem bola de CR7 mostra-se muito eficiente, no intuito de confundir a marcação adversária. São possíveis desenhos em 4-2-3-1, 4-3-1-2 (com Cuadrado, Dybala ou Pjanic como “enganche”, o ”1” do desenho), 4-3-3 e 3-4-3.

No campo ofensivo essa mobilidade é funcional. Segundo o The Guardian foram 9 ocasiões de gol da Juve (5 em gol) contra 6 do United (4 em gol). Os avanços dos laterais (Cancelo/Alex Sandro) são possíveis graças ao trabalho hercúleo da dupla de volantes formada pelo francês Matuidi e o uruguaio Bentancur, ambos destaques por suas seleções na última Copa.

Vale lembrar que CR7 foi expulso no primeiro tempo da estreia da Juve na UCL em partida vencida contra o Valencia. A confronto contra o United foi seu retorno após cumprir suspensão.

O encaixe do português no conjunto bianconero é questão de tempo. Seus números na temporada são bons: 11 partidas, 5 gols, 5 assistências (dados Transfermarkt.com). Ele ainda “não estreou” na UCL 18/19.

Imagem de CR7 e Dybala: Michael Regan/Getty