Just Push Play: Morbid Angel “Piles of Little Arms”

Morbid-Angel-7

Recentemente o norte-americano Morbid Angel liberou a canção “Piles of Little Arms”, faixa que estará no novo registro “Kingdom of Disdained”. O álbum de estúdio sairá no mercado internacional no próximo dia 01 de dezembro, via Silver Lining (Europa/EUA) e JVC Records (Japão).

Pioneiro do death metal e da cena extrema da Flórida (EUA) ao lado de nomes como Death e Deicide, o Morbid Angel foi muito criticado após o lançamento de “Illud Divinum Insanus” registro de 2011, o primeiro com David Vincent (baixista/vocalista da formação clássica) desde a metade dos anos 1990.

Vincent havia voltado a excursionar com o Morbid Angel desde o fim da década passada. Logo a expectativa do público death metal que é bastante conservador, foi um tanto quanto abalada, devido a três ou quatro canções de “Illud Divinum”, trazendo influências do rock industrial e música eletrônica.
Ouça Piles of Little Arms:

Após turnê mundial que angariou bom respaldo Vincent se separou do Morbid Angel, com o líder Trey Azagthoth (guitarra), desmontando o line up e proporcionando o retorno de Steve Tucker, baixista/vocalista que substituiu Vincent, na segunda metade dos anos 1990.

A nova “Piles of Little Arms” mostra-se dentro do projeto sonoro característico do Morbid Angel, algo conectada com o conteúdo dos ótimos “Formulas Fatal to the Flesh” (1997) e “Gateways to Annihilation” (2000), os dois primeiros registros de estúdio do conjunto contando com Steve Tucker.

Capa de 'Kingdoms Disdained'

Capa de ‘Kingdoms Disdained’

Vale ressaltar que “Illud Divinum Insanus” não foi um álbum de retorno da formação clássica do Morbid Angel, uma vez que o icônico baterista Pete Sandoval (Terrorizer) deixou o line up pouco antes. Aqueles que possuem percepção musical mais ampla, não se decepcionaram com as faixas death metal que o álbum de 2011 trouxe.

Vincent saiu de forma amigável do Morbid Angel, sendo necessário ressaltar que o músico é minimamente eclético em termos artísticos. Sua primeira debandada ainda nos anos 90, se deu em virtude dele Vincent ter sido integrado ao Genitorturers (industrial/hardcore), liderado por sua esposa Gen. Atualmente Vincent divide seu tempo com uma recém iniciada carreira-solo na linha country estilo Johnny Cash, e o I Am Morbid, banda fundada para que o baixista/vocalista apresente canções que criou com o Morbid Angel.

Voltando ao Morbid Angel, a banda prossegue como quarteto com Trey, Steve mais Scott Fuller (bateria, Annihilated) e Dan Vadim Von (guitarra, Vadivon).

Imagem de Trey Azagthoth: reprodução