Music For Your Eyes: Arch Enemy “The Eagle Flies Alone”

59A00C99-arch-enemy-reveal-the-eagle-flies-alone-video-image

O sueco Arch Enemy liberou um vídeo para a canção “The Eagle Flies Alone”, que estará no tracklist do novo álbum “Will to Power”. O registro sairá no próximo dia 08 de setembro no mercado internacional, via Century Media Records. O conjunto já havia liberado um vídeo para “The World is Yours”, que também estará no full length.

A banda liderada por Michael Amott (guitarra/Spiritual Beggars, ex-Carcass, Carnage) há tempos firma parceria com o produtor e videomaker sueco Patric Ullaeus, profissional que se tornou enorme no mercado musical pesado da Europa. No início lidou com vídeos de nomes do dance europeu como Dr. Alban e Ace of Base.

Na metade dos anos 1990 Ullaeus dirigiu os vídeos de “Da Bomb” e “I Love Girls”, singles do bem sucedido álbum “Da Bomb” (1996) da banda de reggae jamaicana Inner Cicle, sua porta de entrada para o mercado americano. A relação com o metal se dera a partir de 2002, com “Mother Earth” do holandês Within Temptation. E não cessou.

Ullaeus assina mais uma vez um vídeo do Arch Enemy em “The Eagle Flies Alone”. A proposta visual da banda executando a canção numa pedreira se tornou característica, sendo que o Arch Enemy já fez vídeos similares como o de “Revolution Begins” (de “Rise of the Tyrant”/2007), ainda com Angela Gossow no vocal. A composição visual de Ullaeus evoca alguma dramaticidade e alguma peculiaridade.

Veja o vídeo de The Eagle Flies Alone

A pedreira onde a banda executa a canção lembra locações de seriados japoneses de super-heróis do gênero tokusatsu, com direito a neblina fake mais close em câmera lenta no movimento capilar dos guitarristas, como manda o script de um vídeo de heavy metal.

A atual vocalista do conjunto, Alissa White-Gluz, já expôs via redes sociais ilustrações estilizadas oficiais de si mesma em estilo cartoon/comics, sendo que a cantora candense vende uma imagem contemporânea funcional em termos de cultura pop. O cabelo azul faz de Alissa alguma coisa parecida com um personagem de mangá/anime em carne e osso.

As roupas de palco que Alissa tem utilizado não a deixam tão distante de uma vilã de seriado japonês, sobretudo por cantar valendo-se de vozes guturais. Noutras palavras Alissa se caracteriza como uma cosplayer de um personagem inexistente, expressando uma identidade visual a cada álbum. Vale ressaltar que ela já propunha algo no sentido, na época do The Agonist.

A proposta visual dos álbuns do The Agonist com Alissa sempre se interligavam às canções, com as letras geralmente escritas por ela mesma. Dos três registros gravados pela cantora com o Agonist, “Lullabies For the Dormant Mind” (2009) talvez tenha sido o musicalmente mais expressivo. Os videoclipes também eram chamativos.

Capa de "Will to Power"

Capa de “Will to Power”

Aos olhos do público em geral o vídeo de “The Eagle Flies Alone” gerará estranheza, sobretudo no que diz respeito à alusão visual à águia da letra (“eagle”) e a montagem visual aproximando a pedreira do mar.

A antiga MTV Brasil elencaria o vídeo no extinto programa “Piores Clipes do Mundo”. Entretanto a ideia corresponde à identidade visual de um videoclipe do mainstream metal. É funcional.

Imagem de Alissa: reprodução