Just Push Play: Paradise Lost “The Longest Winter”

paradiselostband2017promo_638

Recentemente o inglês Paradise Lost liberou o áudio da canção “The Longest Winter”, que fará parte do tracklist do novo “Medusa”. O registro sai no mercado internacional via Nuclear Blast Records, sucedendo o excelente “The Plague Within”, lançado em 2015.

Segundo o vocalista Nick Holmes a letra de “The Longest Winter” faz menção ao acidente nuclear de Chernobyl na Ucrânia, ocorrido de forma trágica há 31 anos. A sonoridade mostra-se conectada com o passado doom metal do Paradise Lost, valendo ressaltar que o guitarrista Greg Mackintosh definiu o novo “Medusa” enquanto “meio termo” entre “Shades of God” e “Icon”, clássicos do gothic/doom metal lançados pelo Paradise Lost na primeira metade dos anos 1990.

O conjunto atingiu um patamar mainstream inusitado na segunda metade dos anos 90, quando o mercado musical ainda era regimentado pelas grandes gravadoras. O Paradise Lost gozou de um vínculo com a multinacional EMI e propositadamente valeu-se de roupagem pós-punk/industrial em suas sonoridades daquele período.

Ouça The Longest Winter

A mudança rendeu críticas em mercados conservadores do rock pesado como o latino americano, mas manteve a banda em evidência na Europa. A transformação no entanto se dera em “One Second” (1997), que está prestes a ser relançado em edição comemorativa de 20 anos. O disco lançado originalmente pela gravadora independente Music For Nations, chamou a atenção das multinacionais para o som do Paradise Lost.

No entanto o “retorno” ao metal se deu na primeira metade da década passada, com a banda emplacando no mercado alemão, escoltada pela gravadora Century Media. Os timbres pesados ressurgiram, mas no intento de atualizar o som da banda e posiciona-la ao lado de nomes como Rammstein, Deathstars, The Kovenant ou Pain, bandas que mesclam metal extremo e eletrônico.

paradiselostmedusacd

A volta às raízes death/doom metal de fato é recente tendo se iniciado em “Faith Divide Us, Death Unite Us” (2009) e se consolidado no agressivo “The Plague Within”, algo que incluiu o fato de Nick Holmes ter resgatados seus antigos trabalhos de vocalizações guturais.

O interesse dos integrantes por sons extremos parece ter reascendido, com a banda efetivando no line up o baterista Adrian Erlandsson do sueco At The Gates, um especialista em percussão agressiva e blast beats. Fora isso, Nick Holmes é o atual vocalista do projeto sueco de metal extremo Bloodbath, que já teve Mikael Akerfeldt (Opeth, Katatonia) e Peter Tagtgren (Hypocrisy) como vocalistas.

Imagem: divulgação