Premier League: Manchester United 1×1 Everton – o duelo tático

3000

Na última terça-feira o Manchester United recebeu o Everton no Old Trafford (Manchester/Inglaterra), em partida válida pela rodada 31 da Premier League britânica. O confronto foi disputadíssimo e acabou empatado em 1×1.

Na Inglaterra o técnico red devil José Mourinho foi invariavelmente alvo de críticas, uma vez que o resultado configurou um segundo empate consecutivo, em duas rodadas. O United se vê na 6ª colocação (54 pontos), três a frente do próprio Everton na 7ª colocação.

Manchester United

Mourinho mandou a campo alinhamento inicial com De Gea, Ashley Young, Bailly, Rojo e Blind. Carrick, Fellaini, Lingard, Herrera e Rashford. Ibrahimović. Se por um lado o sueco Zlatan Ibrahimović retornou após suspensão disciplinar de cinco partidas, por outro problemas físicos vetaram Antonio Valencia, com Juan Mata também indisponível.

O United segue com suas variações possíveis em 4-2-3-1, 3-4-3 e 4-3-3. Mourinho preferiu um time mais físico e agudo, entretanto com Paul Pogba iniciando no banco e sem Mata, a equipe sofreu sem os principais articuladores ofensivos.

Os red devils viram o placar sendo aberto aos 22 min, após cobrança de escanteio. Marcos Rojo, junto ao adversário Phil Jagielka, permitiu que o segundo finalizasse praticamente de costas para o gol, a bola vinda do corner. Dispondo de atletas aptos ao jogo vertical, o United viu o trabalho coletivo do Everton minar seus espaços.

O United fez o que pode, tendo criado 17 ocasiões de gol (6 a mais que o oponente) das quais apenas 2 foram em gol. O tento salvador de empate surgiu já nos acréscimos da segunda etapa, após Ashley Williams cortar com a mão, chute de Luke Shaw (que entrou no decorrer). Ibrahimović cobrou e converteu.

Everton

A equipe azul de Liverpool comandada pelo treinador e ídolo holandês Ronald Koeman, teve como escalação titular Robles, Holgate, Jagielka, Williams, Baines. Gareth Barry, Davies e Gana. Barkley, Mirallas e Lukaku.

Ciente das limitações técnicas de seu time, Koeman determinou desenho tático em 4-3-3, dotado de jogo coletivo característico do futebol holandês. Sem a bola a equipe se posiciona em 4-5-1 ou mesmo 3-7-0. Os toffees encontraram um gol em lance de bola parada com apenas 22 min, daí pra diante abdicando do ataque em nome de um jogo defensivo, encurtando os espaços para os atletas do United. O Everton fez 16 das 26 faltas cometidas em toda a partida.

O panorama tem sido o problema dos red devils na presente temporada, quando se veem obrigados a sair para o jogo. O Everton ostentou 38% de posse de bola, saindo em contra golpes rápidos apenas quando possível e se possível. O time porém finalizou com mais precisão do que o United, com 4 (de 11) finalizações em gol (todos os dados segundo o Guardian). O pênalti sofrido no fim foi uma fatalidade.

Tradicional na Inglaterra o Everton é erroneamente visto como “time pequeno” no Brasil. A equipe de Ronald Koeman impôs vitória categórica sobre o Manchester City de Pep Guardiola por 4×0, em janeiro. Segundo informações da imprensa europeia, Koeman teria um pré-acordo com o Barcelona, equipe que defendeu como atleta nos anos 1990.

As duas equipes voltam a campo no domingo pela rodada 32 da Premier League. O United visitará o Southampton e o Everton receberá o Leicester City.

Imagem de Rashford do United (a direita): John Peters/Getty