Manchester City: só Jesus salva?

2622

A semana que se iniciou trouxe todas as repercussões possíveis, posteriores aos dois gols anotados pelo brasileiro Gabriel Jesus, na vitória do Manchester City sobre o Swansea City, no fim de semana. Os citzens venceram os adversários em Manchester (Inglaterra) por 2×1 em compromisso da rodada 24, da Premier League.

No Brasil a repercussão foi imbecilmente estrondosa, dada a carência de grandes ícones futebolísticos brasileiros na Europa. Em Manchester, já há uma espécie de “Jesus mania” e até opositores criticando o “hype” em torno do titular da seleção brasileira e ex-atleta do Palmeiras.

Em todo caso seus números exclusivamente na Premier League são relevantes, contabilizando 3 aparições em 3 rodadas. Duas partidas consecutivas como titular e três gols anotados em dois jogos. Mas por mais otimista que seja o prognóstico, Gabriel Jesus ainda é um atacante de apenas 19 anos que acabou de chegar ao Etihad Stadium.

No Brasil em específico a imprensa futebolística intensifica comparações entre Jesus e o argentino Sergio “Kun” Agüero, que acabou ficando como opção do treinador Pep Guardiola no banco de reservas nas últimas partidas.

Em contraparte Agüero não é um ex-jogador em atividade, e os indícios de que ele pode deixar os citzens, não se dá pelo fato de Gabriel Jesus ser melhor ou pior que ele Agüero.

Eclipsando

A euforia em torno de Gabriel Jesus está eclipsando detalhes perigosos, sobretudo aos olhos do Brasil, até porque o Manchester City não era até agora, tão visualizado quando Manchester United, Arsenal, Liverpool ou Chelsea, times ingleses muito mais populares em nosso país.

Agüero (Nigel Roddis/EPA)

Agüero (Nigel Roddis/EPA)

No extra-campo é preciso re-afirmar a importância de Sergio Agüero em relação a Gabriel Jesus, nesta era milionária do City. O atacante argentino revelado pelo Independiente foi adquirido em 2011 por valor superior a 30 milhões de euros, pagos ao espanhol Atlético de Madrid, sua porta de entrada no futebol europeu.

Na Espanha Agüero foi elemento importante nos êxitos do Atlético representados pelas conquistas da Europa League 2009/2010 e Supercopa europeia 2010. Na Inglaterra o argentino foi preponderante em cinco dos seis títulos obtidos pelos citzens em sua era milionária: bi-campeonato da Premier League (11/12, 13/14), bi-campeonato da copa da liga (13/14, 15/16) e supercopa inglesa 2012

Agüero não é qualquer coisa, sendo ainda o maior artilheiro sul-americano da Premier League. Seus números na presente temporada são bons, computando 26 jogos (18 pela Premier League) e 18 gols.

Com 28 anos e vínculo que expirará em junho de 2019, Agüero mostra idade útil a atrair grande oferta seja de Real Madrid, Barcelona ou Paris Saint-Germain.

Dentro das quatro linhas

Desde sua estreia no empate contra o Tottenham na rodada 22 da liga inglesa, Gabriel Jesus convive num contexto de recuperação do City. Em terceiro lugar na tabela (49 pontos) os citzens contabilizam um empate e duas vitórias nas três últimas rodadas. Porém, alguns problemas pré-Gabriel Jesus ainda permanecem.

Nas últimas duas rodadas a equipe de Guardiola enfrentou um West Ham (9º colocado) em deficit técnico/psicológico e o combalido Swansea (17º. colocado), fugindo da zona de rebaixamento. O confronto vencido por 4×0 contra o West Ham foi a primeira partida dos hammers após a saída de seu principal jogador, Dimitri Payet.

Contra o Swansea no último domingo, os defeitos defensivos escancarados na terrível derrota para o Everton (4×0) no começo de janeiro, mostraram-se persistentes. O meia Fernandinho retornou de suspensão, tendo sido postado de forma incomum, como lateral-direito. Mais uma vez, Guardiola optou por usar Kolarov (lateral de origem) na quarta zaga.

O City vencia desde os 11 min de partida com o Swansea retrancado, e em nova oportunidade, tornando inútil o alto índíce de posse de bola citzen (total do jogo 68%). O gol de empate galês anotado pelo islandês Sigurdsson aos 81 min, iniciou-se com falha de Clichy, no setor esquerdo da defesa citzen.

Sigurdsson recebeu a bola pelo centro, finalizando sem muitos problemas diante da primeira linha do time de Guardiola. É preciso ressaltar que três minutos antes, Guardiola havia ordenado substituição defensiva, postando o lateral-direito Zabaleta no lugar de De Bruyne. Em tese, Fernandinho que retornava ao meio e Yaya Touré deveriam estar preenchendo o setor invadido por Sigurdsson. O segundo gol de Gabriel Jesus saiu já nos acréscimos da segunda etapa.

Os citzens criaram 17 ocasiões de gol (contra 8 do adversário), das quais apenas 5 foram em gol (dados segundo o The Guardian).  Guardiola segue insistindo na não utilização de zagueiros natos na defesa. O intuito ofensivo do Guardiola way, ainda cria desequilíbrio tático. Frente a isso, é indiferente qual atacante será escalado à frente, seja Jesus, seja Agüero. Ao fim do confronto contra o Swansea, ambos estavam em campo.

Os times da Premier League retornam a campo no fim de semana para a rodada. O Manchester City jogará apenas no complemento da rodada, na segunda-feira 13/02. A equipe visitará o Bournemouth.

Imagem de Gabriel Jesus (de azul) marcado por atleta do Swansea: Andrew Yates/Reuters