“When evreything’s out of my mind
out of what was left behind
I would have liked to say I know
cause no one has the hights without lows”

(Brainstorm – “Highs Wthout Lows”)

Neste domingo o Manchester United volta a campo pela décima terceira rodada da Premier League inglesa, recebendo o londrino West Ham United em Old Trafford (Manchester/Inglaterra).

Os red devils ainda inspiram elogios, devido a atuação inquestionável pela Europa League na última quinta-feira, ao golear o holandês Feyenoord.

Em contrapartida a imprensa inglesa concedeu trégua, cessando intensas críticas tanto em direção ao treinador José Mourinho, quanto em relação aos jogadores (leia-se: Wayne Rooney).

Lows…

Na última sexta-feira Mourinho foi abordado sobre o meia-atacante francês Anthony Martial. O atleta de apenas 20 anos disputou a última EURO pela seleção de seu país. Não tem sido titular absoluto pelos red devils, mas tem recebido oportunidades nesta temporada.

Martial custou absurdos 36 milhões de libras (cerca de 50 milhões de Euros), pagas pelo United ao Monaco na metade de 2015. Na atual temporada o jogador já surgiu em 12 partidas, tendo anotado 2 gols. Os números se aglutinam a um total de 45 aparições mais 17 gols, contabilizados desde que o francês chegou ao Old Trafford.

Anthony Martial (Reuters)

Anthony Martial (Reuters)

Questionado pela imprensa sobre as oportunidades que diminuíram para Martial, Mourinho afirmou que há diferenças entre a forma como o ex-técnico Louis Van Gaal utilizava o francês, e a forma como ele Mou utiliza o jogador. Segundo o atual treinador, seu antecessor utilizava Martial para dar velocidade ao time, ao passo que a equipe atua de forma mais intensa, sob comando do português.

Mourinho foi mais além ressaltando uma concorrência no setor, onde Martial se soma a Lingard, Depay, Mata, Mhiktaryan e Rashford. Martial não foi relacionado para o compromisso pela EL, mas atuou no empate contra o Arsenal, na última rodada da Premier League .

O treinador frisou a boa apresentação de Henrikh Mhiktaryan contra o Feyenoord, sendo que o meio-campista armênio precisava de minutos e vinha sendo criticado. Paralelamente, há um burburinho extra-campo ao redor de Anthony Martial desde outubro, quando a imprensa (mais precisamente o The Sun) noticiou um caso extra-conjugal protagonizado pelo atleta.

A esposa do francês entrou com pedido de divórcio, valendo ressaltar que o casal tem um bebê de 16 meses. Os motivos técnicos/táticos para uma menor utilização do meia-atacante são plausíveis. Por outro lado, parecem haver fagulhas psicológicas atravessando a condição de Martial.

Highs…

No último sábado foi a vez do zagueiro Phil Jones ser enaltecido publicamente por Mourinho. O Guardian destacou palavras do treinador refutando maiores críticas e dúvidas sobre a condição física de Jones, defensor especificamente ridicularizado no Brasil.

Mourinho afirmou que Jones está atuando bem, concedendo a estabilidade necessária ao setor, após as baixas por problemas físicos de Eric Bailly e Chris Smalling. Se Jones surgir como titular diante do West Ham, o zagueiro completará seu quarto jogo consecutivo.

O treinador enalteceu a vontade do zagueiro e sua mentalidade de privilegiar a função defensiva, antes do intento de sair jogando. Mou afirmou que atualmente “os defensores pensam que habilidade é mais importante para construir jogadas partindo do campo de defesa. Não é. O mais importante é defender e isso é o que eu gosto em Phil Jones. Ele gosta de defender e quer ser um defensor. Isso é o principal”.

Segundo o Guardian a imprensa sugeriu comparação com John Terry (Chelsea), a qual Mourinho desqualificou em aspectos técnicos. Para Mou, Jones é mais rápido que seu ex-pupilo Terry, que por sua vez, seria melhor no jogo aéreo. O treinador lusitano afirmou que em comum, ambos tem a virtude de privilegiar a condição de ser um defensor.

Mourinho também respaldou a personalidade de Jones, uma vez que o zagueiro se prontificou a atuar na vitória contra o Swansea City, sem sequer ter treinado, após cerca de 10 meses fora de ação. Um voluntarismo que com certeza conquistou o treinador.

O Guardian ressaltou ainda a possível quarta aparição consecutiva como titular do volante Michael Carrick, detalhe que temos ressaltado aqui no 90 Minutos. Para o periódico inglês, o volante também concede uma estabilidade tática/mental, ao sistema defensivo do United.

O ressurgimento do volante de 35 anos, deu segurança para Paul Pogba poder atuar de forma mais avançada. Por outro lado, Carrick pode estar vivendo suas últimas jornadas com os red devils.

Highs without lows?

No que diz respeito aos resultados, Mourinho afirmou que aplicar uma goleada sobre o Feyenoord foi um êxito, mas que talvez fosse melhor elencar “quatro ou cinco vitórias consecutivas”.

Já em relação à pontuação na liga inglesa, o técnico português mostrou-se otimista, afirmando que não há como prever quando os adversários perderão pontos. O importante é o United buscar os seus pontos.

Os red devils se encontram em sexto lugar da tabela da Premier League com 19 pontos, cinco pontos atrás do Tottenham Hotspur, derrotado pelo líder Chelsea neste sábado.

Manchester United e West Ham entram em campo neste domingo às 14:30 hr (horário de Brasília). A ESPN anunciou a transmissão do confronto na tv brasileira.

Imagem de Phil Jones: Carl Recine/Reuters