“Good day to be alive Sir
Good day to be alive, he said…..
Then it comes to be that the soothing light at the end of your tunnel
Is just a freight train coming your way”

(“No Leaf Clover” – Metallica)

No último domingo o Manchester United obteve uma boa vitória por 3×1, ao visitar o combalido Swansea City, pela décima primeira rodada da Premier League. Lidando com problemas físicos de atletas importantes, o técnico José Mourinho teve a sua frente um adversário apto a conceder uma reabilitação.

Tendo abandonado o campo por lesão dois dias antes, na derrota diante do Fenerbahçe pela Europa League, Paul Pogba surgiu sem muitos problemas no time titular. Mou promoveu a re-aparição do zagueiro Phil Jones e do veterano volante Michael Carrick. A curto prazo, os problemas defensivos viram-se sanados.

Mourinho promoveu uma escalação um pouco diferente, mas que precisou de cerca de 33 min para impôr três gols e superioridade plena diante do Swansea, em seus domínios no País de Gales. O time teve De Gea, Ashley Young, Jones, Rojo e Darmian. Carrick, Fellaini, Pogba, Mata e Rooney. Ibrahimović.

O módulo em 4-2-3-1 voltava a permitir a re-organização em 3-4-3, quando o time detém a posse de bola, uma vez que Ashley Young foi escalado na lacuna deixada pelo lesionado Valencia. Young e Valencia são bastante similares.

Desta forma, Matteo Darmian foi deslocado para o lado esquerdo, mais preso como side back. Young por sua vez se aglutinava ao meio-campo possibilitando o desenho em 3-4-3.

Jones, Carrick e os ausentes

O adversário frágil era uma boa oportunidade para a reaparição de Phil Jones, que não atuava desde janeiro e que sequer havia treinado. Com apenas 24 anos sua reabilitação é urgentíssima, uma vez que a previsão de recuperação de Eric Bailly (lesão num dos joelhos) está prevista para a rodada do boxing day (dezembro). Isso na melhor das hipóteses.

O vice-capitão Michael Carrick que completou 35 anos em julho, concedeu o equilíbrio mental necessário ao grupo neste momento, além do equilíbrio defensivo atuando fixo à cabeça de área. Carrick surgiu na lacuna do suspenso Ander Herrera. A reconstrução do sistema defensivo do United, a qual temos mencionado aqui no 90 Minutos, passa também pelo surgimento de uma peça de reposição para Carrick.

Michael Carrick é o último jogador de defesa remanescente do grupo campeão europeu, na temporada 2007/2008 além de ter sido bi-vice campeão da Champions League em 2009 e 2011. Por fim a alardeada re-integração do meia Bastian Schweinsteiger aos treinos, não implicou em sua inclusão no grupo.

Com a defesa estável, o United repetiu a criação numerosa de chances de gol, mas desta vez conseguindo convertê-las. Segundo levantamento do The Guardian, o United criou 9 ocasiões de gol. As três que foram em gol foram efetivas, com um tento de Pogba e dois de Zlatan Ibrahimović. Os dois gols do sueco oriundos de assistências de Wayne Rooney.

No pós-jogo Mourinho revelou à MUTV, emissora oficial do United, que Chris Smalling e Luke Shaw solicitaram por não serem relacionados, alegando não estarem 100%. Em contraparte o treinador ressaltou a atitude de Jones, Young e Rooney, que queriam atuar, bem como a voluntariedade de Daley Blind que assumiu não estar pleno, mas que gostaria de contribuir, mesmo estando no banco de reservas.

A “epidemia” de problemas físicos minimizou o fato do elenco red devil ser considerado demasiado numeroso, no início da temporada. Porém quando Mourinho chega a um clube, há atletas que percebem que não vão se encaixar em seus métodos. São as entrelinhas que a imprensa inglesa talvez tenha ressaltado, em relação aos casos de Smalling e Shaw.

Quando Mourinho chegou à Internazionale na metade de 2008, Adriano então “imperador” arranjou uma “rehab” no São Paulo, antes do fim do primeiro turno da temporada 2008/2009. Quando o técnico lusitano assumiu o Real Madrid na metade de 2010, o ídolo Raúl González aos 33 anos, mas ainda atuando em alto nível, solicitou transferência para o Schalke 04.

Voltando ao presente, com o resultado o United conseguiu chegar ao G6 da Premier League ocupando a sexta colocação, agora com 18 pontos. O galês Swansea por sua vez é o penúltimo colocado da tabela, lembrando que os times do País de Gales, disputam os torneios na Inglaterra.

Os red devils voltam a campo depois da data FIFA de jogos de seleções. A equipe enfrentará o Arsenal no dia 19/11, em derby a ser realizado em Londres. Até lá Mourinho pode meditar sobre o clarão do fim do túnel. Se de fato é a saída ou um trem se aproximando.

Imagem de Pogba e Carrick contra o Swansea: premierleague.com