Atlético de Madrid: a dor do derrotado.

1464524097_382439_1464524295_noticia_normal_recorte1

Após a derrota nos penaltis para o rival Real Madrid no último sábado na final da Champions League, um sentimento enorme de tristeza se sobrepôs ao Atlético de Madrid, e sua torcida. A imprensa europeia mostrou-se surpresa com a lamentação do treinador Diego Simeone, expressa em coletiva pós-jogo.

O periódico espanhol El País afirmou no último domingo que dentro do clube Atlético de Madrid, não há indício algum de que Simeone seja demitido. “Cholo” Simeone planejou a nova pré-temporada pelos últimos cinco meses. Porém, o treinador argentino afirmou na coletiva que precisa “parar para pensar”.

Disse que está onde quer, que não se queixa de nada daquilo que o “Atléti” o oferece desde 2012. Porém, o treinador afirmou-se frustrado por não ter conseguido oferecer aos seus torcedores que pagaram para viajar à Milão (Itália), aquilo que eles desejavam ver. Os jornalistas se espantaram com a forma como “Cholo” tomou para si, a responsabilidade pelo revés.

Por outro lado, Diego Simeone afirmou que o Real Madrid foi melhor na disputa de penaltis e mereceu o título. “Cholo” disse que o futebol é “destino”, e que o título da CL 2015/2016 não estava destinado nem a ele, nem aos seus comandados.

No aspecto de planejamento administrativo, o segundo vice-campeonato de CL em três anos é um feito extraordinário para o Atlético, cuja diretoria vem dizendo desde sempre, que sua meta é manter-se em disputa constante da própria CL.

O clube não tirou os “pés do chão” e segue consciente de que não tem o poder aquisitivo nem do Real Madrid, nem do Barcelona.

Erros na final?

As estatísticas da final da CL em si trazem os dados mais curiosos. Não é comum o “Atléti” ostentar mais de 50% de tempo de posse de bola em uma partida, sobretudo contra o Real Madrid. O tempo total de posse de bola foi dividido entre 54,2% de posse colchonera, contra 45,8% dos blancos.

Na vitória por 2×0 sobre o Barcelona na partida de volta das quartas de final, o Atlético venceu os culés com apenas 24% de domínio de posse de bola. A vitória por 1×0 sobre o FC Bayern na partida de ida das semi-finais, foi obtida com o Atlético transformando 76% de possessão esférica dos bávaros, em tempo inútil de posse de bola.

Voltando à final, para um time que atua em contra-ataques entregando a bola ao adversário, o número de 713 passes colchoneros trocados em 120 minutos, é muito grande. O Real Madrid trocou apenas 635 passes.

Talvez a imaturidade de alguns bons atletas revele alguns motivos da derrota. O penalti perdido por Griezmann (25 anos) no início do segundo tempo (o francês converteu sua cobrança na disputa pós-prorrogação), pode ser creditado a alguma imaturidade.

O mesmo cabe ao meia Saúl Ñiguéz (21 anos), que foi anulado pelo triângulo merengue Marcelo/Casemiro/Toni Kroos, durante os primeiros 45 minutos da decisão. É preciso ressaltar que nem Griezmann e nem Saúl faziam parte do elenco vice-campeão da CL, em 2014.

Aspecto mental dos atletas imaturos do elenco à parte, o Atlético fez uma partida inquestionável em termos técnicos e táticos. E os méritos são todos de Simeone.

Ainda que a Champions League seja a competição continental de clubes mais disputada do mundo, o torneio se dá no formato mata-mata. Num torneio eliminatório o melhor time nem sempre vence.

Reforços.

Há algumas semanas a imprensa espanhola menciona que a diretoria colchonera deseja a contratação de três peças pontuais. Um lateral, um meio-campista para atuar pelos lados do campo e um atacante de área. Destas posições, um atleta será uma contratação de impacto.

A princípio, os 42 milhões de Euros obtidos com a venda de Jackson Martínez em janeiro, seriam re-convertidos na contratação do antigo ídolo Diego Costa. Isso até o novo treinador do Chelsea, Antonio Comte afirmar que pretende manter o hispano-brasileiro em Londres (Inglaterra).

O El País afirma que há algum interesse rojiblanco no uruguaio Edinson Cavani, atleta que o Paris Saint-Germain não parece querer se desfazer. Costa e Cavani seriam as opções (financeiramente elevadas) para a função de atacante de área.

Para o meio-campo, o El País afirma que há uma negociação adiantada entre Atlético e Benfica, pelo meia argentino Nico Gaitán. Para a lateral, a pretensão é um lateral-direito que fique como peça de reposição para Juanfran e Jesus Gaméz.

Ainda não há ofertas pelos valorizados jogadores do elenco colchonero, o que deve se intensificar após o início da EURO 2016, em 10 de junho. Entretanto, a imprensa inglesa afirma que o Manchester United pode ofertar mais de 50 milhões de Libras, pelo citado Saúl.

Imagem de Simeone ao fim da decisão da CL no último sábado: Stefan Wermuth – Reuters.