FC Bayern: os mitos e lendas do rei Arturo.

1461525265_615164_1461526505_noticia_normal_recorte1

A imprensa espanhola chama a atenção para a presença do meio-campista chileno Arturo Vidal, atleta que deve estar no alinhamento inicial do FC Bayern, em Madrid na próxima quarta-feira. A equipe alemã visitará o Atlético de Madrid, em jogo de ida válido pelas semi-finais da Champions League.

No meio da semana passada, Vidal foi protagonista no confronto da semi-final da DFB Pokal (ou Copa da Alemanha), vencida pelo Bayern sobre o Werder Bremen. Os bávaros venceram por 2×0, sendo que o segundo gol originou-se de um penalti simulado pelo próprio Vidal.

O temperamento do chileno realmente destoa do fair play geralmente vigente na Bundesliga e futebol alemão em geral. Até mesmo o treinador Pep Guardiola e o atacante Thomas Müller, reprovaram publicamente o ato de simulação, proporcionado por Vidal, conforme informa o periódico espanhol El País.

Não que isso tenha causado qualquer tipo de celeuma dentro do elenco bávaro. No compromisso seguinte no último sábado, o Bayern venceu o Hertha Berlim por 2×0, êxito que colocou os bávaros a uma vitória do título da Bundesliga. Vidal anotou um dos gols que podem antecipar o título do Bayern, a três rodadas do fim da liga alemã.

Regularidade.

O bom momento vivido por Arturo Vidal (28 anos) há quase duas temporadas é inegável. Na metade de 2015, o chileno era parte importantíssima da Juventus, vice-campeã da CL vencida pelo Barcelona. Pouco depois da decisão europeia, Vidal sagrou-se campeão da Copa América, junto à sua seleção chilena, vitoriosa no torneio sediado no próprio Chile.

Durante o torneio de seleções sul-americanas, Vidal se notabilizou por ter destruído sua Ferrari em acidente automobilístico onde se viu embriagado. Após a copa sul-americana na metade de 2015, Vidal foi contratado pelo FC Bayern por 36 milhões de Euros, sem porém o aval de Pep Guardiola.

O El País frisa que o chileno chegou graças a Michael Reschke, olheiro do Bayern que havia trabalhado no Bayer Leverkusen. Embora poucos saibam, o Leverkusen foi o primeiro clube de Vidal na Europa, onde atuou entre 2007 e 2011. Responsável pela ida de Vidal à Leverkusen, Reschke indicou a contratação ao também dirigente bávaro Mathias Sammer.

O Bayern precisava de uma peça para preencher a lacuna do ídolo Bastian Schweinsteiger, por sua vez negociado com o inglês Manchester United. O chileno possui características drasticamente diferentes do meia alemão. Porém sua adaptação ao Bayern foi instantânea, por já ter atuado no futebol alemão anteriormente.

Como bem descreve o El País, Guardiola interpretou Vidal enquanto meia “polifuncional”, capaz de conceder chegada e saída de bola, aliadas a um pico de intensidade competitividade, sobretudo em competições europeias. Isto uma vez que o Bayern é pouco ameaçado na liga alemã.

Apolíneo e dionisíaco.

Se por um lado Vidal é o meio-campista mais atípico dentre os eleitos pelo “paradigma Guardiola”, por outro, o chileno é uma referência dentro do grupo bávaro, segundo depoimento de seus próprios companheiros que o enaltecem. O também volante Javi Martínez o descreve enquanto jogador “completíssimo”, dotado de um plus “de agressividade”.

Em relação ao confronto contra o Atlético de Madrid, o El País ressalta de forma coerente que Vidal é de longe o jogador mais adequado a enfrentar os colchoneros, adeptos do jogo físico e propositadamente defensivo. O jornal espanhol relembrou um provérbio cunhado em seus tempos de Juventus que dizia: “Cuando el partido se pone duro, es coisa de Rey Arturo” (algo como “quando o jogo é duro, é coisa de rei Arturo”).

O meia hispano-brasileiro Thiago Alcântara também argumenta em nome do chileno, afirmando que “joga duro” mas não é desleal. O dirigente Mathias Sammer afirma que Vidal intimida pelas tatuagens e pelo corte de cabelo, mas o descreve como “inofensivo”. Sammer frisa que o chileno “marca gols decisivos, é trabalhador, eficiente no mano a mano” e também “imprescindível, por seu aspecto ligeiramente irracional”.

O dano colateral é que volte e meia Guardiola o substitui, devido ao risco de ser expulso por consequência de faltas cometidas durante a partida. O El País destaca que Vidal é o tipo de jogador que responde em campo, e se sobressai quando “se vê encurralado”, tendo algo a provar.

O lateral e capitão bávaro Phillip Lahm afirma que nada se compara a Vidal. Lahm ressalta que é curioso o fato de Vidal nunca ter vencido uma Champions League. Na atual edição do torneio segundo Lahm, Vidal tem corrido muito e “mostrado todas as suas qualidades”.

Atlético de Madrid x FC Bayern jogam nesta quarta-feira às 15:45 hr (horário de Brasília).

Imagem de Vidal: Thomas Eisenhuth – AP